quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

2014...O ano do Crescimento!!

O ano de 2014 foi, sem sombra de dúvida, o ano do crescimento. Nunca tive tanto retorno profissional em termos de credibilidade, apoio e da tal...oportunidade de crescimento!

É com imensa gratidão que me dirijo a todos, mas principalmente aos leitores do blog e às pessoas que vou acompanhando que fazem com que todo este trabalho de partilha valha a pena. Muito Obrigado a cada um de vocês pela partilha, pelo reconhecimento, pelos comentários e pela interacção no blog e no Facebook..O meu muito Obrigado por este 2014!! 

Claro que espero um ano ainda melhor em 2015, afinal ainda há muito a fazer. Ou não tivesse este mundo cheio de produtos alimentares com títulos que ainda continua a deixar o consumidor confuso e num dilema. O que devo comer?

"Emagreça sem esforço" "Emagreça sem sacrifícios" "Sem Glúten" "Saudável" "Margarinas" "Light" "Zero" "Ligeiro" "Low Fat" "Sem Lactose" "Roda dos Alimentos"


Estas têm sido das frases que mais chamam à atenção para vender produtos alimentares, dietas ou comprimidos milagrosos... Mas não acredite em tudo que esteja escrito em alguns desses produtos ou em simples publicidades. A verdade é uma, qualquer objectivo a que se proponha quer seja para aumentar massa muscular, seja para melhorar a composição corporal ou até mesmo para se manter saudável, vai exigir empenho, sacrifício e foco, não há outro caminho.

Um 2015 bem saudável é o que vos desejo...e...."Façam o favor de serem Felizes"





segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

"Manteigas" de Amendoim há muitas...

A manteiga de amendoim é um dos produtos alimentares mais demonizados do mercado e isso talvez seja por ter colado a ele a imagem "Americana" onde sobram os açúcares e as gorduras trans.

E na realidade a imagem Americana da Manteiga de Amendoim de saudável tem muito pouco. Este fim de semana passei por uma loja que vende exclusivamente produtos alimentares e suplementos oriundos dos EUA.

O que encontrei la, para mim não é novidade, embora achei curioso partilhar convosco. A manteiga de Amendoim Americana la comercializada é da marca Teddie e tem um custo de 5,49€ por 510g de produto:

Clicar na imagem para a ampliar
A lista de ingredientes revela um produto altamente processado com xarope de milho (o alimento geneticamente modificado mais produzido nos EUA) e gorduras hidrogenadas. Acredito que também possa ser saborosa (ou não fosse este um dos produtos mais consumidos nos EUA) e digo acredito, porque não tive coragem de experimentar!

Mas nem só nos EUA há destas "preciosidades", há um artigo no Blog do Master Músculos em que é feita uma breve análise às Manteigas de Amendoim mais vendidas em Portugal e a realidade é que algumas têm ingredientes muito parecidos a esta MA.

A manteiga de amendoim que consumo e que costumo referenciar como "a ideal" é a Master Peanut (marca Portuguesa) é sem qualquer ingrediente extra, ou seja sem óleos vegetais adicionados, sem açúcar, sem sal ou outros ingredientes industrialmente processados! Usa apenas e só amendoim!

Master Peanut usa apenas Amendoim nos seus ingredientes.
A Master Peanut é feita com 100% amendoim torrado e torragem essa que é feita (segundo garante o fabricante) com temperaturas controlados para preservar os micronutrientes do amendoim. É sem conservantes, sem corantes, sem espessantes ou estabilizantes tal e qual um bom produto alimentar deve ser feito!



terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Bolo Rei....Bolo familiar?? Ou...Industrial?!?!

O Natal é uma festa especial e que normalmente está associada ao excesso e desperdício alimentar, mas o natal não terá de ser significado de comida, muito menos de comida industrial.

O que vos trago aqui hoje é uma lista de ingredientes, de um Bolo Rei que está a ser comercializado no Pingo Doce (embora também haja em qualquer outro super/hipermercado) e que é um exemplo daquilo que não devemos comer.


Dextrose, Xarope de Glucose, Sorbato de Potássio, Dioxido de Enxofre, Sodio Benzoato, Corantes e mais corantes,  Pectina...tudo isto são ingredientes ultra processados que poderemos evitar comendo apenas doces tradicionais com ingredientes que pessoas com mais de 70 anos consigam reconhecer.

Para que não restem dúvidas na leitura deste rótulo deixo aqui algumas definições das seguintes palavras descritas neste rótulo:
Emulsionante: São substâncias que tornam possível a formação ou a manutenção de uma mistura homogénea de duas ou mais fases imiscíveis, como óleo e água, nos alimentos (por exemplo na produção industrial de maionese)
Regulador de Acidez: São substâncias que alteram ou controlam a acidez ou a alcalinidade dos
géneros alimentícios. Estas substâncias podem ter a função de neutralizar ou de equilibrar o efeito dos
ácidos, como é o caso do Bicarbonato ou carbonato ácido (este produto é usado frequentemente na
panificação visto que quando misturado com ácido, liberta-se dióxido de carbono, que promove o
crescimento das massas).
Espessante: São substâncias que aumentam a viscosidade dos géneros alimentícios assegurando a sua
consistência.

O mais estranho de tudo é o preço por Kg continuar elevado..contendo ingredientes industriais de fraca qualidade e que têm preços muito mais baixos.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

COWspiracy, Sustentabilidade...e o Verdadeiro Dilema do Omnívoro: O Que Devemos Comer?

O documentário COWSPIRACY tem uma tese simples e questiona-nos sobre o que está a ser feito sobre o impacto da agricultura animal no meio ambiente? A falta de respostas por parte de várias instituições ambientalistas vai surpreender e confundir o espectador. A juntar a este facto temos várias informações apresentadas sobre as consequências do agro-negócio à escala global que nos fará pensar várias vezes antes de comermos carne novamente.


Embora encontre algumas falhas, sobretudo muito pouco foi dito sobre o verdadeiro impacto não dos animais mas da ração que actualmente serve de comida para o gado que comemos, este documentário fez-me pensar, procurar e questionar (como sempre faço) toda a informação que me foi transmitida.

Aqui à dias li um artigo no The Wall Street Journal que vem de encontro com algo que também já pensava, afinal e ao contrário que nos diz o documentário Cowspiracy, quando o Gado é alimentado com pasto (e não com Milho e Soja OGM como base da ração) é também uma forma importante e uma excelente estratégia para combater o aquecimento global, afinal estamos a falar de restabelecer o carbono para o solo (desde a novas práticas agrícolas que dependem dos fertilizantes químicos, com base no azoto sintético proveniente de energia fóssil. Já escrevi um artigo inteiro dedicado a este tipo de agricultura, que pode ser visto aqui:Será a Agricultura Moderna que nos está a Engordar??!!)

O mais importante do gado é que ele pode viver apenas dos pastos. E o que pode haver de melhor para proteger a água, o solo e o clima que pastos densos??

Para melhor compreensão do problema sugiro que vejam os seguintes vídeos:




A apresentação de Allan Savory com uma ideia simples e natural, usando uma gestão cuidadosa dos animais para estimular o crescimento de ervas, animais e que coloca grandes quantidades de gases com efeito estufa do ar para o solo.

Precisamos de carne (de qualidade) para nos mantermos saudáveis, mas a realidade é que somos população a mais para a demanda mundial actual de carne (não é possível fazermos duas ou três refeições diárias de carne)...e isso faz com que a produção actual de gado seja tipo FastFood e é essa produção rápida que tem um impacto brutal no Ambiente.

Feliz Natal a Todos



Espírito de Natal: ON / Música de Natal: ON / Família: ON /...Esgotamento do stock de Glicogénio: ON

A todos os leitores que tornam possível o reconhecimento do JFUnmask um Santo e Feliz Natal!!

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Portugal Está Gordo?


Bem esta é a notícia com que nos presenteia o Jornal Publico Portugal está gordo: 4,5 milhões têm excesso de peso. Eu próprio não precisava desta notícia para constatar este facto e até posso acrescentar, além de Gordo, está DOENTE!!

Pena é que a ler o artigo do Jornal em questão, ainda fico mais confuso:

"O consumo de carne continua a ser excessivo (embora se esteja a verificar uma substituição das carnes de bovino e suíno pelas de aves), assim como o de sal, ao contrário do consumo de hortícolas e fruta, abaixo do recomendado. Só no grupo dos “cereais, raízes e tubérculos” e no dos “lacticínios” é que os portugueses se aproximam do padrão alimentar recomendado. Soma-se a estes dados, um consumo insuficiente de leguminosas secas, e excessivo de óleos e gorduras."


Cereias...Lacticínios...sei bem onde levam estas recomendações (RODA DOS ALIMENTOS?!?!?!), mas em que se baseia a roda dos alimentos composta por 60% de HC maioritariamente provenientes de cereais, 30% (Fobia???) Gordura e 10% de Proteína?!? Simplesmente isto não faz parte da história da evolução humana. Nunca antes se viu....



Conheço bem estas afirmações:
"O consumo de carne continua a ser excessivo (embora se esteja a verificar uma substituição das carnes de bovino e suíno pelas de aves)"

O "embora se esteja a verificar uma substituição das carnes de bovino e suíno pelas de aves" deixam-me ainda mais confuso..o problema é do consumo de carne, ou apenas a Carne de bovino ou suíno?? Se for de Ave está tudo bem?! O problema da obesidade será da Gordura da carnel?

Deve ser daí que surgiu o mito do Fiambre de Peru!!

Com uma coisa concordo, Portugal está realmente gordo...

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Perda crónica de horas de sono & Ganho de Peso

A perda de sono crónica como consequência da restrição voluntária de dormir, é uma condição endémica na sociedade moderna.


E não é novidade nenhuma a interação que há entre a privação de sono e a escolha de (maus/refinados) alimentos que nos tragam a sensação de recompensa (e isto acontece por haver uma desregulação do nosso sistema hormonal), o que também se sabe agora é que a redução do sono tem um potencial impacto sobre o risco de obesidade e da diabetes. E isso pode ser visto em estudos em que adultos saudáveis foram submetidos a uma restrição parcial de sono e que houve diminuição da tolerância à glicose e perda da sensibilidade à insulina (ver estudo:Sleep loss: a novel risk factor for insulin resistance and Type 2 diabetes.)

Há até um outro estudo que vai mais além e que conseguiu identificar alterações metabólicas numa única noite de privação de sono (aumento da produção endógena de glicose e resistência à insulina).
"A single night of partial sleep deprivation induces insulin resistance in multiple metabolic pathways in healthy subjects."

Há várias maneiras de restituir/melhorar a sensibilidade à insulina e também de melhorar a nossa composição corporal. E, acredito eu, que tudo pode começar por dormir a quantidade de horas que o nosso corpo necessita para se recuperar.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Consumo de Nozes...E Prevenção de Diabetes Tipo II

É um estudo recente (pode ser visto aqui) que nos chega por um grupo de investigadores Chineses e que refere não só que o consumo de Nozes suporta um padrão alimentar saudável para a prevenção de doenças crónicas como que um auxílio na Diabetes, mas aqui os resultados surgem após o ajuste do índice de massa corporal.


É de facto um padrão, a ligação que há entre o excesso de peso e a Diabetes Tipo II e também pode ser visto com outro estudo que nos chega de um grupo de investigadores Japoneses "Relação entre obesidade e Diabetes em adultos Japoneses". No fundo estes resultados destacam a importância de manter um percentual de gordura baixo para a prevenção da Diabetes e estes resultados têm ainda mais impacto quanto maior for a idade da pessoa.

A diabetes tipo II é causada pela resistência à insulina (e por uma eventual falha das células pancreática secretoras de insulina), algumas pessoas tornam-se obesos (e obviamente resistentes à insulina), mas as suas células pancreáticas secretoras de insulina nunca falham e só por esse motivo não se tornam diabéticos (e isto já é sinal de um forte componente genético).

A boa notícia é que qualquer pessoa (mesmo com excesso de peso) pode reduzir o risco de diabetes apenas por se exercitar regularmente, por melhorar a qualidade do sono e por reduzir o stress. Aliar isto tudo à perda de peso e a uma ingestão reduzida de Hidratos de Carbono é reduzir/anular a possibilidade de contrair diabetes tipo II.

Este assunto não é novo no Blog, e quem o lê regularmente percebe perfeitamente o porque das nozes (juntamente com uma redução de ingestão de HC) serem uma ajuda importante na prevenção da Diabetes.

Prevenir a diabetes não é um passo de mágica, mas estes 3 simples passos vão-lhe reduzir o risco:

  1. Reduzir o peso
  2. Exercício Físico 
  3. Comer uma dieta saudável
Mais artigos sobre o tema podem ser vistos aqui:

Insulina..Hiperinsulinismo..Obesidade..Doenças Metabólicas. PARTE I
Insulina..Hiperinsulinismo/Obesidade/Doenças Metabólicas/PARTE II
Diabetes: E Se Houvesse Uma Reversão No Processo de Ocidentalização Na Nossa Dieta?
Obesidade & Diabetes Tipo II.. Dois nomes para uma mesma doença!
Níveis de Açúcar no Sangue em Jejum..bom medidor de sintomas como a diabetes e a obesidade?


terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Camarão...Os Factos que o Poderão levar a um Dilema!!

Nós Portugueses, que somos um povo apreciador de camarão deveríamos pensar várias vezes antes de consumir camarão. E isto porque não é sustentável...não há camarão selvagem para alimentar tanta procura (mundial).


O que surgiu como resposta foi o camarão de aquacultura e com uma certeza: a aquacultura veio para ficar (e com esta certeza, chega-nos também todo o impacto ambiental por ele provocado!!). Até Portugal que é quase uma migalha, no que à produção de peixe de aquacultura diz respeito, mudou muito e já começa a investir bastante neste tipo de pescado!

Já abordei aqui no Blog a temática da aquacultura, pode ver aqui mais detalhes.



Elevados níveis de antibióticos, pesticidas, alimentação com base na soja e milho (marisco vegetariano?! Como se cultiva a soja e o milho, actualmente??!), tudo isto deve ser considerado na altura de consumir este alimento já que há riscos para a saúde humana e tem um impacto negativo brutal para o ambiente. E isso pode ser visto aqui nestes artigos: Chemicals and biological products used in south-east Asian shrimp farming, and their potential impact on the environment & Antibiotic Resistance of Salmonella spp. Isolated from Shrimp Farming Freshwater Environment in Northeast Region of Brazil

Serão os peixes de aquacultura, as novas "galinhas" do mar, tal a quantidade de hormonas, antibióticos e tipo de ração que ingerem??

Lista de Antibióticos usados na produção de Camarão de Aquacultura. Clicar na imagem, para a ampliar

Lista de Pesticidas usados na produção de Camarão de Aquacultura. Clicar na imagem, para a ampliar

O modelo de aquacultura na produção de camarão, fortemente dependente de antibióticos e pesticidas é deste modo insustentável (e deve duvidar quando rótulos ecológicos possam surgir na embalagem!).

Se a nível de saúde, não tenho dúvida que a melhor escolha é a do consumo de camarão selvagem, já a nível ambiental...diria que não deve escolher nenhum!!! Mas é neste ponto que reside o ACTUAL e verdadeiro dilema do omnívoro: O que deveremos comer?!

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

GoldNutrition Whey Extreme Force...para modalidades de força?!

A GoldNutrition é uma das poucas marcas Portuguesas de suplementos e que segundo a própria marca "Depois de anos a suplementar atletas das mais variadas modalidades, a GoldNutrition aposta agora na suplementação de peso, para as modalidades de Força."

É uma frase bonita de se ler, sobretudo para quem é atleta de Strong Man ou de Powerlifting, mas que novidades a nível de produtos nos presenteia a GoldNutrition?


Hoje a análise é sobre a proteína (mas há mais suplementos da linha Extreme Force da GN, que abordaremos aqui no blog). A Proteína desta linha é a Whey Extreme Force.

Ingredientes: Concentrado de proteína do soro do leite, maltodextrina, aroma de morango, corante (beterraba em pó), espessante (goma guar), emulsionante (lecitina de soja), edulcorante (acessulfame K, sucralose), L-glutamina, complexo de proteases, lactase, L-leucina, L-isoleucina, L-valina, hidrolisado de concentrado de proteína do soro do leite, albumina do ovo, proteína de leite isolada, isolado de proteína do soro do leite. --- Clicar na imagem, para a ampliar

Resultado da leitura deste rótulo: 60% de proteína, proveniente maioritariamente da fonte mais barata do soro do leite (o concentrado) e da adição de aminoácidos à formula: glutamina, leucina, isoleucina, valina (estes aminoácidos contam como proteína na analise nutricional, mas não são de todo, proteína completa).

Se foi para baixar a qualidade da proteína, comparativamente ao suplemento já existente da GN, a Total Whey (ver abaixo) porque razão lançaram este produto?:


Podem clicar na imagem, onde contém a lista de ingredientes e a informação nutricional e irão ver que esta proteína, não só usa melhores ingredientes, como também tem uma % de proteína mais elevada.

Será que os atletas de Força, merecem isto: Piores ingredientes, Menor % de proteína??

Conselho: Sejam atletas de força, de musculação, de futebol, de atletismo, Ciclismo, etc etc etc, comprem uma proteína de qualidade (e esta total whey é uma boa solução, embora o preço seja quase proibitivo) e comprem isoladamente os HC (Aveia, Vitargo, Maltodextrina) e coloquem a quantidade que necessitarem.

No meu entender a GN é uma marca comercial (não tem sequer HC sem sabor vendidos separadamente, talvez seja por não ser comercialmente (€) apelativo)e produtos como esta Whey Extreme Force é uma fórmula pensada para todos (os atletas de força??!?!) mas que não é específica para ninguém...

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Iogurte Grego: O que É real...E o que NÃO é!!! Milbona "O Verdadeiro" - Parte V

Se não o último este será dos últimos artigos no que à saga "Iogurte Grego: O que É real...E o que NÃO é!!!" diz respeito, na medida em que, tudo ou quase tudo sobre o tema já foi dito (e reforçado com o artigo de hoje!)

Os Iogurtes Gregos que hoje vós trago é os da marca Milbona e que há à venda nos supermercados Lidl.


E digo Iogurtes no plural, porque de facto são 2...e por sinal diferentes - Milbona Iogurte Grego Natural e Milbona Iogurte Grego Natural Ligeiro.

Tenho para mim, que em quase todos os alimentos (produtos alimentares) onde a palavra "ligeiro" /ou "light" é utilizada, esse mesmo alimento usualmente é fraca qualidade...Mas este Iogurte Grego Natural Ligeiro Milbona é uma boa surpresa, e para isso basta ler a lista de ingredientes:

Leite e culturas lácteas, são os únicos ingredientes deste Iogurte, tal como um verdadeiro Iogurte Grego deve de ser
 Por outro lado o Milbona Iogurte Grego Natural, acrescenta nata à sua lista de ingredientes (como muitos dos iogurtes "tipo" Gregos que aqui falamos no Blog:


A real vantagem do Iogurte Grego, quando comparado com os restantes iogurtes é que contém culturas de probióticos, tem cerca do dobro da proteína e um menor teor de lactose.

Mesmo para Vegetarianos, é uma super alimento dado o seu elevado teor em vitamina B12 (que combatem assim a sua deficiência em B12)

Os probióticos contidos neste iogurte são microorganismos vivos e que vivem no nosso intestino e que nos ajudam a manter-nos saudáveis e são especialmente úteis para pessoas que sofrem de doenças como a síndrome do intestino irritável (ver aqui), também melhoram o sistema imunitário (ver aqui) e até podem ajudar a controlar as incidências de cancro gástrico (ver aqui).

Se adicionarmos esta informação, à sua textura e cremosidade.......

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Iogurte Grego: O que É real...E o que NÃO é!!! Parte IV

Já vai longa a lista de iogurtes "gregos" que vos tenho apresentado (a maioria dos quais, pelos piores motivos), e hoje não que seja "fake", pois o nome do produto não engana (tipo Grego), mas a verdade é que a palavra Grego continua a ser mal empregue e desta vez pela Marca Continente.


O nome do iogurte não engana - Afinal é: Iogurte TIPO Grego - mas de Grego só tem o nome e a espessura, porque a nível de ingredientes:


Nata, Lactose e Proteínas Lácteas são estes os ingredientes usados para levar o consumidor a pensar que está a consumir um verdadeiro iogurte grego...

Se ainda não sabe como é na realidade um iogurte grego e quais as suas virtudes, pode ver os artigos anteriores:

Iogurte Grego: O que É real...E o que NÃO é!!! Parte I
Iogurte Grego: O que É real...E o que NÃO é!!! O verdadeiro - Parte III

Não se deixe enganar.....

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Será o Arroz(qual deles?!), Uma Má Escolha?! Ou Poderá ser benéfico em Certas Alturas do Dia?

O Arroz tem por detrás dele um longo debate: Sobretudo para os amantes do Low-Carb. Mas será este um mau alimento?


Claro que o arroz tem uma quantidade grande de HC por peso, quando comparado por exemplo com os legumes, mas por exemplo quando comparado com o trigo, não tem glúten nem é causador de nenhum problema de saúde que advém do seu consumo.

Por outro lado o arroz no seu estado Integral, levanta uma série de questões, como é o caso dos seus "anti-nutrientes", como os fitatos que se ligam a minerais e vitaminas e que impedem a sua absorção, o que deixa por terra a questão de o arroz integral ser mais rico em minerais e vitaminas. Eu não aconselho o uso do arroz pela riqueza dos seus micro-nutrientes (para isso há outros alimentos excelentes), mas sim, aconselho (em determinados estados da dieta, momentos do dia, etc) por ser uma fonte facilmente absorvível de glicose.

Pois é, o arroz integral é mais rico em vitaminas e minerais. Porém essas vitaminas não são bem absorvidas pelo ser humano, devido aos anti-nutrientes.
Outra questão é a quantidade de gérmen que o arroz integral tem e que torna este arroz mais difícil de digerir.

Já o arroz branco (orgânico, que utiliza apenas métodos sustentáveis e saudáveis para a sua produção) é uma forma facilmente absorvível de glicose e de fácil digestão. Claro que não é aconselhável a qualquer hora do dia, claro que não deve ser a principal fonte calórica da ingestão diária de alimentos, claro que não é recomendável a pessoas com hiperinsulinismo, nem a pessoas com problemas em gerir o açúcar no sangue, nem para pessoas em algumas fases da perda de peso, mas para a grande maioria das pessoas é bem aceite.

Sendo até fundamental em atletas, para reposição de glicogénio como também um alimento chave para atletas que pretendam aumentar o peso/massa muscular.

O meu preferido é sem dúvida o arroz basmatti, pelo seu aroma, e sobretudo pela sua CG, que permite uma absorção mais gradual dos HC (junto por norma uma fonte de gordura, por exemplo azeite, para retardar ainda mais a sua absorção e para ter um impacto ainda mais pequeno na insulina, isto claro em horas fora do pós-treino)

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

O Potencial da Canela, na melhoria da sensibilidade à insulina

A canela tem já uma longa história no que a tempero "anti-diabético" e é de facto um excelente auxiliar para quem quer recuperar da resistência à insulina obtida após anos de uma dieta desfavorável.

A canela aumenta a sensibilidade à insulina através da melhoria da sinalização da insulina 

Restabelecer essa sensibilidade à insulina, é a chave mestre para recuperar de todos os danos metabólicos e o resultado prático dessa melhoria é uma redução dos triglicéridos, menor sensação de fome, redução da gordura corporal, redução da tensão arterial (através de uma menor retenção de liquidos observada em dietas low carb: ver aqui), menor fadiga, etc.

O resultado de um estudo de 2003 demonstram que a ingestão de 3 a 6g de Canela por dia, durante 40 dias, reduz os níveis de glicemia em jejum, redução dos triglicéridos, redução LDL...todos eles indicadores de uma melhor sensibilidade à insulina.

Estes dados sobre a canela, podem ser usados tanto para melhoria da sensibilidade à insulina em doentes com diabetes tipo II, como em pessoas que queiram simplesmente melhorar a sua composição corporal dado a melhoria da gestão da glicemia (com o uso da canela) em resposta à refeição rica em hidratos de carbono (que nestas alturas de perda de peso, devem ser feitas exclusivamente em períodos à volta do treino)

Há outros factores a ter em conta, quando queremos melhorar a sensibilidade à insulina. E factores como:
  • Exercício físico (treino de força)
  • Perda de peso
  • Dieta
não podem ser deixados de parte, apesar de todos os dados que temos em relação à canela!


sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Ingredientes de Excelente Qualidade...será assim mesmo?!

O título deste artigo, é uma das frases escritas no site do Jumbo para descrever os ingredientes de um bolo de bolacha congelado da marca Auchan.

A frase completa pode vê-la aqui:
 "Sobremesa óptima para festas totalmente pronta, em que a sua preparação é feita à base de ingredientes de excelente qualidade o que lhe confere um aspecto e sabor caseiro , sendo só necessário descongelar."

A parte onde diz que é uma sobremesa pronta, tudo ok. Já a parte que refere "à base de ingredientes de excelente qualidade"... Mas afinal que ingredientes são esses?


Sabendo que se trata de um bolo de bolacha, não estaria à espera dos melhores ingredientes que se possa incluir num bolo, mas ler esta lista de ingredientes é assustador:

  • Gordura de Palma
  • Xarope de Glucose e Frutose
  • Creme Vegetal (gorduras hidrogenadas) - Os ensaios clínicos controlados e estudos observacionais fornecem provas concordantes que o consumo de óleos parcialmente hidrogenados afectam negativamente múltiplos factores de risco cardiovasculares.
Até já nem falo dos restantes (trigo, açúcar, etc), mas estes ingredientes altamente refinados que enumerei são responsáveis por uma grande parte de doenças que atingem a nossa população e estão presentes não só aqui, mas em quase tudo que é alimento processado!

Basta ler algumas referências:


Voltando às informações cedidas pelo fabricante, os ingredientes além de terem qualidade "conferem um aspecto e sabor caseiro..."

Caseiro? O que há de caseiro nestes ingredientes?!?? 
E de saudável?!??

Será o consumidor final obrigado a conhecer cada característica dos ingredientes usados neste tipo de "alimentos", ou terão de ser as marcas proibidas de escrever tais afirmações?!?


quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Inibidores do Colesterol Sanguíneo = Baixa Testosterona?

Não é novidade para nenhum dos leitores mais assíduos do blog, o que penso sobre o colesterol.

Mas se só agora começou a ler o Junkfood Unmask, poderá ver aqui os seguintes artigos sobre o tema colesterol:

Colesterol, de patente do reino animal a vilão!
Dieta para baixar o colesterol
Em Defesa dos Ovos...Melhoria da Sensibilidade à Insulina & Melhoria do Perfil das Lipoproteínas

Hoje o assunto é um dos fármacos do momento: As estatinas e a sua relação com baixos níveis de testosterona!


Esta Droga inibe a produção endógena de colesterol e é também eficaz a reduzir os seus níveis no sangue (daí serem usadas na prevenção de doenças cardiovasculares..ainda a hipótese lípidica!!), mas o que fica por dizer é que o colesterol não é um problema mas sim um interveniente secundário sem efectivamente ser a causa das doenças cardiovasculares.
Dado o Colesterol ser um SUBSTRATO para algumas das nossas hormonas VITAIS tais como a testosterona, o mais certo é esperar que os problemas sexuais apareçam. É ou não é é lógico que isso aconteça? É ou não verdade que com a toma de estatinas a substância precursora da testosterona é anulada ou reduzida?!?

Tudo isto pode ser visto aqui:
Is decreased libido associated with the use of HMG-CoA-reductase inhibitors?

Com a seguinte conclusão:
Devido ao esgotamento do colesterol intracelular há um diminuição da libido.

Prevenções primárias para melhorar a saúde cardiovascular como: comer bem (não! comer bem, não é comer menos colesterol, nem substituir a manteiga por margarina, nem comer o pão integral(?!? seja lá o que isso for) SIM! Deve deixar de comer todos os alimentos industrializados e processados que come diariamente!) e exercício físico, onde estão?
O caminho mais curto (e lucrativo) é vender estatinas! Mas não seria melhor o paciente conseguir escolher o caminho que quer percorrer (compreendendo os prós e contras desta decisão)? Há riscos associados e seria sempre necessário uma (correcta) avaliação do custo/beneficio do uso desta medicação...

domingo, 16 de novembro de 2014

E quando os Ovos Caseiros já escasseiam....

Chegamos àquela altura do ano em que as galinhas poedeiras "caseiras" não recebem a luz natural que necessitam para a produção de ovos, pelo menos com a regularidade que nos habituaram (as galinhas de aviário recebem luz artificial para que mantenham a produção de ovos normalizada) e o resultado disso mesmo é um abrandamento, se não mesmo estagnação na produção.

Posso desde já vos dizer, que procurei por mais de quatro pessoas que têm galinhas poedeiras em casa e a resposta foi sempre a mesma "não temos ovos nem para nosso consumo".

Foi esta a história, que me fez escrever este artigo, pois tendo um stock reduzido em casa de ovos caseiros, fui obrigado a ir a um supermercado comprar ovos (algo que já não acontecia há muitos meses).


Para os mais desinformados, parecem ser uns excelentes ovos, afinal são ovos de galinhas em "liberdade" (mas o que significa liberdade?quantos minutos por dia? Em que espaço?). Mas e o que dizer da base alimentar, como nos diz o rótulo, à base dos melhores cereais? Melhores cereais?

Foi aqui que fiquei curioso e não mais descansei enquanto não fui ao site da empresa CAC (www.ovoscac.com), para ver quais eram mesmo a base desses "melhores cereais".

Não posso dizer que tenha ficado surpreendido, afinal é mais do mesmo, se não vejamos:
 "As rações produzidas pela ALIMAVE destinam-se exclusivamente a galinhas poedeiras, incluindo toda a sua cadeia de produção (cria, recria e produção de ovos). Com matérias-primas à base de cereais (milho, soja, trigo e girassol), pré-mixes e líquidos, como o óleo de girassol, a qualidade das rações da ALIMAVE é controlada mensalmente, em laboratórios independentes"

Milho, soja. trigo...onde é que eu já vi isto!!?

O resultado desta alimentação das galinhas poedeiras da CAC, não podia ser outro que não este:


É fácil identificar qual destes três ovos é o ovo da galinha que se alimenta à base de cereais. Afinal a cor alaranjada não o deixa ficar camuflado. Os outros dois são ovos caseiros (bem amarelos, pois têm uma base alimentar bem diferente, e que lhes permite ter um perfil nutricional também este, bem diferente).

O milho e a soja, servem para tudo, mas há um grande preço a pagar....

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Panqueca à Americana!! Ou talvez não....


Como em qualquer doçaria convencional, a farinha de trigo e o açúcar são a base de uma verdadeira Panqueca Americana..mas (e daí o título) o que vos quero trazer aqui é uma alternativa saudável, sem pecado, que possa ser uma maneira diferente de consumir ovos e com vantagens sobretudo ao nível da portabilidade da refeição.

Como ingredientes para confeccionar esta panqueca usei:




50ml. Água
2. Ovos Caseiros
1. Colher de sopa de Farinha de Coco
1. Colher de sopa de Cacau
1. Colher de sopa de Proteína Whey de Chocolate (com apenas 1% corante e 1% de adoçante artificial. Usei a da PFN, MyWhey Diamond)
1. Colher de café de bicarbonato
1. Colher de sobremesa de óleo de coco




Além de serem fáceis de transportar, estas panquecas são também muito fáceis de preparar, como podemos verificar:

Juntar os 50ml de água, os ovos, a farinha de coco, o cacau, a whey, e o bicarbonato e bater com a varinha mágica, até obter uma massa bem dissolvida.

Aquecer a frigideira anti-aderente em lume brando com óleo de coco (podem usar manteiga) e verter a massa (que previamente bateram na varinha mágica) cuidadosamente da frigideira. Como estamos a usar a proteína whey na receita não a podemos deixar coser de mais para não secar (este truque, confesso, aprendi do Mestre Master Músculos).

Mal se comece a formar umas bolinhas na parte de cima da Panqueca, teremos de a virar com cuidado para coser do outro lado...após isso? Trabalha concluído!


O resultado final é uma excelente "entre-refeições" que poderemos usar para levar para o trabalho, com proteína do mais alto valor biológico e gordura de excelente qualidade, que vai desde o ácido láurico ao Omega-3 e ao colesterol!! TOP*

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Mais Barato, Maior, Mais Rápido...As 3 Chaves que ajudam a compreender o Aquecimento Global!

Numa altura em que muito se tem falado sobre as alterações climáticas e das suas diferentes causas, é de estranhar, no meu entender, a falta de uma correcta abordagem a este problema Mundial!


Não é por acaso que enumero estas as 3 chaves como as grandes causadoras do aquecimento global (não sendo as únicas, obviamente).
Estes são os pilares da abordagem que a industria alimentar se alicerça e que está "lentamente" a matar a saúde do nosso planeta.

Para produzir Mais Barato, Maior, Mais Rápido o agricultor moderno recorre às monoculturas (prática agrícola de produzir uma única espécie numa área ampla e por um grande número de anos consecutivos) que conduzem à propagação de pragas (que por ser cultura uniforme é susceptível a estes agente patogénicos).
Este método de produzir à muito que deixou de depender do que a energia do sol lhes fornecia nem da qualidade dos solos. A equação mudou..e tudo isto à custa do azoto sintético (e também dos OGM que conseguem se adaptar melhor)


Já o tinha referido num artigo que a aplicação de fertilizantes químicos provenientes de energia fóssil, está a fazer com que haja um excedente de oxido nitroso (o oxido nitroso está presente naturalmente na atmosfera como parte do ciclo de azoto na terra, no entanto a agricultura) através dos cultivos em monoculturas(e da sua capacidade em aguentar mais fertilizantes) e de outros processos industriais, estão a aumentar a quantidade de oxido nitroso na atmosfera.

O impacto de 1kg de oxido nitroso no aquecimento global é de 300x mais que de um kg de dióxido de carbono e é emitido quando os agricultores modernos adicionam nitrogénio ao solo (através dos fertilizantes sintéticos) e se a isso adicionarmos às contas o óxido nitroso despendido no transporte dos alimentos que atravessam Países e Continentes então já ultrapassamos mais de 75% das emissões mundiais do oxido nitroso.

Há até um estudo científico a sintetizar e a expandir os dados existentes sobre a contribuição da produção animal de gado (alimentadas através de milho e soja GM em Cafo´s) para a mudança climática. E o estudo foi claro no que se refere ao impacto desta produção de animais (comida) para o aquecimento global.

Será sustentável produzir alimentos baseado na energia fóssil?

Servirá esta maneira de produzir alimentos (organismos GM, gado alimentados com OGM, peixe de aqualcultura alimentados também a OGM) benéfica para combater a fome mundial? Ou será a fome mundial um problema político?


sexta-feira, 7 de novembro de 2014

VitaminWater - A alternativa à água?


























A Vitaminwater é mais um produto no mercado, que chegou com o intuito de ser uma alternativa à água e segundo a própria marca é uma bebida com micronutrientes (antioxidantes, palavra chave hoje em dia para quem quer vender um produto alimentar) e extractos de ervas.

Clicar na imagem, para a aumentar

O que aqui vemos é um produto alimentar com uma quantidade de açúcar (31g, por garrafa) muito parecida a um refrigerante qualquer, o que faz com que não me pareça justo chamar de água "vitaminada" a um produto como este.

Há até uma notícia do jornal The Guardian a dar conta que a ASA (Advertising Standards Authority) proibiu um anúncio da marca, por achar que a palavra nutritivo usada no anúncio era de facto enganosa.

Porém nota-se algum cuidado na escolha dos ingredientes (quando comparado com os refrigerantes convencionais), tais como:


Reverse Osmosis Water - A osmose inversa da água é especialmente útil para remover sódio, impurezas e parasitas. Tornando-se uma água filtrada segura tanto para cozinhar como para beber, tal como uma água da torneira, mas de uma forma mais segura.

Stevia - O stevia é um adoçante (que tem o poder de adoçar cerca de 200x mais que o açúcar) e que se tornou bastante conhecido e comercialmente atractivo por se tratar de um adoçante que é oriunda de uma fonte vegetal natural (não sintético).

Talvez esta escolha de ingredientes, justifique o elevado preço que é cobrado por este produto, mas nunca poderá ser uma alternativa (saudável) à água. A água não é doce, não tem nenhum reclame a gritar pelas suas valiosas valias, mas acredite é a bebida que deve ingerir!!

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Creatina Monohidrato - Efeitos adversos, MITO ou REALIDADE?

A creatina desempenha um papel central no metabolismo energético e é sintetizado no fígado, rim e pâncreas. Nas pessoas saudáveis é transportada através da corrente sanguínea para os músculos, coração e cérebro. Embora sendo naturalmente sintetizada no organismo humano, pode ser ingerida sob a forma de suplemento (é vulgarmente utilizada por atletas, com fortes estudos sobre o seu efeito na força, explosão, velocidade, recuperação, ganho de massa muscular, etc)

Restam mesmo poucas dúvidas do enorme efeito ergogênico que a creatina tem em atletas, ou não fosse este um dos suplementos mais vendidos tanto para atletas de alta competição como por amadores. Mas apesar das numerosas publicações cientificas sobre o potencial deste suplemento em atletas, há ainda muitas dúvidas no que aos efeitos secundários diz respeito.

Com doses que podem chegar às 20g/dia durante os primeiros dias e de 3 a 10g durante mais algumas semanas/meses, há relatos do efeito da creatina na protecção cardíaca e até de relatos negativos sobre distúrbios hepáticos e renais.



Mas, e o que dizem os estudos??

Dietary creatine supplementation does not affect some haematological indices, or indices of muscle damage and hepatic and renal function

A interpretação dos dados deste estudo, fornecem evidências inegáveis:
  • Não há risco para a saúde associada à suplementação com creatina, em pessoas saudáveis
  • Não existem efeitos adversos evidentes na função hepática nem renal
Um outro estudo, de 2002 foi realizado em atletas de Futebol Americano e mediu os efeitos secundários a longo prazo nas funções hepáticas e renais e o resultado não foi diferente: Não há efeitos prejudiciais a longo prazo em atletas altamente treinados (ver estudo: aqui)

Um outro estudo (ver aqui), este usando altas doses de creatina (5g/kg) em ratos (exercitados e sedentários), conclui que o exercício físico pode evitar os efeitos secundários relacionados com uma dose suprafisiológica de creatina, no entanto, mais estudo serão necessários, especialmente na população sedentária para aferir as consequências para a saúde do uso de altas doses de creatina.

Nunca um suplemento tão estudado (é o suplemento mais estudado da história) é ainda tão mal compreendido pelo público geral, muitos ainda ficam admirados por a creatina ser encontrada naturalmente na carne e no peixe....


quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Herbalife: Barra de Proteína? Será Mesmo esse o Nome Correcto para este Produto?

Não é a primeira vez que escrevo sobre os produtos alimentares da Herbalife (ver aqui o outro artigo) e infelizmente hoje volta a não ser pelas melhores razões, embora não o faça por perseguição a verdade é que quando olhei para a lista de ingredientes da barra de proteína desta marca, fiquei assustado. Acho que nunca vi tanto ingrediente num só "alimento" e de tão baixa qualidade.

Se não vejamos:

Ainda pensei em contar a quantidade de ingredientes, mas quando ultrapassei os 40...desisti!

Resultado disto tudo? Temos um alimento ULTRA-PROCESSADO, com gorduras hidrogenadas (ver na lista: "Margarine: Canola, Soybean oil, Palm Oil" / "Mono- and Diglycerides" - este ingrediente é o que aparece em todas as margarinas e nesta barra até aparece 2 vezes na lista de ingredientes.

Hydrogenated Stach Hidrolysate não é mais que amido hidrogenado e que resulta de uma mistura de álcoois de açúcar que servem para dar consistência à barra e ao açúcares nela contida: Dextrose / Oligofrutose / Polydextrose / Maltodextrin.

Maltitol, é outro álcool de açúcar e aqui é utilizado para manter a doçura da barra (tem 70 a 90% a doçura do açúcar) e que permite manter baixa a quantidade de açúcar na tabela da informação nutricional do produto. É encontrado também em chocolates e produtos de panificação. Principal ponto negativo deste ingrediente é que é maioritariamente proveniente de milho ou trigo geneticamente modificado e (tal como este produto final) é um ingrediente altamente processado.

Depois de ler a interminável lista de ingredientes, só faltava ler as indicações de uso:


"One or Two bars per day for healthy snacking and wheight loss"

INACREDITÁVEL!!

Talvez o nome correcto para este "alimento" será: Margarina Proteica (ou será Margarina de Hidratos de Carbono)?? Sim mesmo com toda a tecnologia alimentar usada neste produto ultra processado a quantidade de HC continua a ser superior à quantidade de proteína!!





A Informação nutricional desta barra pode ser visto no site oficial da Herbalife:
http://catalog.herbalife.com/Catalog/en-US/Weight-Management/Snacks/Protein-Bar
http://az31823.vo.msecnd.net/content/en-us/pdf/catalog/120906_sku0247_us_label.pdf

As opiniões aqui contidas apenas reflectem apenas e só opinião da JunkFood Unmask.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Corrida...Suplementação & Alimentação!! PARTE I

Não há dúvidas nenhumas que a corrida tem ganho muitos adeptos e isso constato a cada vez que me dirijo perto de uma praia. E se a isso juntarmos a febre que há em volta de tudo que é corrida organizada e paga ( a peso de ouro, diria eu) onde a adesão é enorme então percebemos a dimensão que tem esta prática desportiva em Portugal.

Este artigo, tem o intuito de orientar estes mesmos corredores que por falta de conhecimento ou alguma contra-informação não conseguem ter uma alimentação direccionada ao seu objectivo.

O primeiro ponto que devemos ter em conta é desde já fazer a destrinça do seguinte
  1. Correr, com intuito de melhorar a Performance
  2. Correr, para melhorar a composição corporal
São dois objectivos distintos e que devemos ter, desde logo, bem definido para que possamos fazer as escolhas correctas na nossa alimentação.


Esta primeira parte do artigo irá se debruçar sobre o primeiro ponto: PERFORMANCE!!

Se o objectivo é treinar, competir para melhorar o seu desempenho, terá de ter atenção ao seguinte:

Hidratos de Carbono. Ora, sei que o que o "atleta" já ouviu falar em alimentos como a Massa, ou Pão ou até marmelada, mas esses não são os melhores fontes de hidratos de carbono para usarmos antes do treino/prova. Opte por arroz basmatti, arroz selvagem, batata doce, aveia.
Já durante o treino pode optar por HC com um CG mais elevada, como o banana madura, marmelada, gel, isotónicos (com maltodextrina/ou vitargo/ou dextrose)

Descargas e Cargas de Hidratos. Pois bem, este é um truque usado por atletas de fundo ( a primeira pratica deste procedimento remonta aos finais dos anos 60) e visa colocar em prática um plano de super compesação de reservas de glicogénio. E isto acontece porque esta depleção de gicogénio desencadeia uma resposta adaptativa do corpo que reage à ausência/redução dos HC na dieta, com um poder acima do normal por parte dos músculos e do fígado de reservar glicogénio (quando a ingestão de HC é procedida de uma depleção de HC grande.)

Proteína. É talvez o macro-nutriente mais negligenciado por parte dos atletas. Ovos, Carne, Peixe use e abuse na refeição pré-treino (1h30 / 2h antes do treino/prova), juntamente com os HC que em cima indiquei.

Hidratação. Neste campo não podemos esquecer o poder do GLICEROL e na sua capacidade de reter água e com isso aumentar a performance (devido ao seu efeito ergogénico) e evitar a desidratação (mesmo em climas com temperaturas elevadíssimas)
Ver estudo: aqui

Gordura. Em momentos que antecedem o treino/prova o óleo de coco (através do ácido laurico) são é grande ajuda a nível energético, pois não só poupa as reservas de glicogénio como ao passar em primeiro lugar pelo fígado é um excelente fonte de energia imediata.

e não esquecer o mais importante: A recuperação!

A recuperação deve ser feita no instante a seguir ao fim da treino/prova e com uma combinação dos seguintes suplementos:
  • Proteína Whey
  • Maltdextrina/ou Vitargo
  • Banana Madura
  • Creatina
  • Glutamina
  • Bcaa´s

**As quantidades irão sempre variar em função do tempo de duração da prova, do sexo do atleta, do peso, etc....

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Iogurte Grego: O que É real...E o que NÃO é!!! O verdadeiro - Parte III

Iogurte Grego: O que É real...E o que NÃO é!!! É um dos temas que mais artigos tem aqui no blog e isto porque a quantidade de imitações deste "tipo de iogurte" não param de chegar ao mercado.

Hoje o tema servirá para vos mostrar o que é um verdadeiro iogurte grego:


Este é sem dúvida o meu iogurte "verdadeiramente" grego preferido, é feito sem qualquer ingrediente adicional, desde conservantes, espessantes, estabilizadores, leite em pó ou qualquer outra "ferramenta" usada noutros iogurtes "tipo" gregos, que os usam para criar um produto final menos dispendioso a nível financeiro, mas parecido (a nível sensorial) do verdadeiro iogurte grego. Já a qualidade nutricional, essa é (muito) inferior.

Este Fage - Iogurte grego é mais grosso e mais cremoso que um iogurte "normal" e isso porque tal como referi na Parte I deste artigo, "...é retirado ao iogurte toda a parte aquosa que permanece quando o leite é colhado o que por um lado o torna mais espesso e cremoso dando a consistência que fica entre o iogurte e o queijo mas preservando o travo amargo do iogurte".