quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Será a Agricultura Moderna que nos está a Engordar??!!

Até o mais complicado dos problemas, pode ter uma explicação mais simples do que aquilo que podemos imaginar.

O que podemos dizer de forma resumida é que os agricultores "modernos" estão a produzir demais, sobretudo milho e soja. Alimentos esses que são transformados em ração para os animais que comemos, são usados como base para produzir todo e qualquer alimento "junk", no fundo esses excessos de produção são transformados em calorias baratas.
Ora aliar este excedente (actualmente, a produção total de alimentos/calorias seria mais que suficiente para alimentar todo o planeta. Portante já não é questão de escassez de alimentos, mas sim da sua má distribuição dos alimentos) à actual ganância que envolve o sector alimentar, que arranja sempre maneira de induzir o consumidor a consumir cada vez mais os produtos alimentares que nascem deste excedente de produção, é a razão pela qual aponto este tipo de agricultura como o principal culpado pela alta taxa de obesidade e de doenças relacionadas com ela.

Na agricultura "moderna" não há rotação nem diversificação (utilizam monoculturas), utilizam fertilizantes químicos e adubos sintéticos (com base em azoto sintético, potássio e fósforo provenientes de energia fóssil) abandonando o conjunto de bactérias, fungos e minhocas que criam uma simbiose perfeita entre plantas e fungos como forma de adubar). Com a pouca diversidade a luta contra as pragas dá-se à custa de resíduos tóxicos (que por sua vez poluem o solo e posteriormente os rios).
Além de poluir mares e rios, as lavouras profundas provocadas por este tipo de cultivo alteram a microflora e a estrutura do solo. As extensas monoculturas de soja e milho contribuem para a desflorestação e destruição da biodiversidade, tornando estas formas globais de produção numa forma de destruição massiva do meio ambiente, incluindo o aquecimento global, mostrando o fracasso do modelo de desenvolvimento baseado no consumo de energia fóssil (fertilizantes).

Ora como podemos ver a "comida" da qual dependemos é baseada em energia fóssil e com base em monoculturas (muitas das vezes com recurso a OGM), dando origem a excedentes de "alimentos"/calorias, que torna deste modo os alimentos "junk", a carne e o peixe de aquacultura com preços realmente baixos.

Conhecerão as pessoas, o custo real destas refeições???

Esta é uma das variadas acções feitas para levar o consumidor a ingerir cada vez mais calorias provenientes do excedente da agricultura moderna
Se forem analisado todos os factores ambientais, sociais, e de saúde que envolve a produção de OGM como o milho e a soja concerteza que seria proibido produzir monoculturas como por exemplo da soja (que a ingerimos diariamente sem sabermos por estar incluído em milhares de produtos alimentares. O consumo de carne barata também é a base alimentar de grande parte dos Europeus, mas o principal preço esse está a ser pago pela America Latina com a basta plantação de soja que servirá, para além da produção de alimentos junk, de ração para o gado)

Enormes extensões de floresta tropical são destruídos para dar lugar a monoculturas de soja
Para melhor compreenderem todo este negócio sugiro a leitura dos três seguintes artigos:

http://junkfoodunmask.blogspot.pt/2014/03/o-que-devo-comer-o-que-estou-comer-de.html
http://junkfoodunmask.blogspot.pt/2014/04/o-que-devo-comer-o-que-estou-comer-de.html
http://junkfoodunmask.blogspot.pt/2014/04/o-que-devo-comer-o-que-estou-comer-de_6.html

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Plano Perda de Peso (e perda de saúde)!!! PARTE I

Hoje trago-vos mais um resultado da minha aguçada curiosidade.

Não podia deixar passar mais um plano para perda de peso que vi descrito numa revista que me foi oferecida, com o título de "Plano Boa Forma"


A alimentação e o seu correcto aconselhamento, tem de ir mais longe de que uma simples perda de peso. E como tal não acho normal este tipo de plano alimentar (elaborado por nutricionistas), onde abundam:

Tostas integrais, bolachas integrais, cremes para barrar vegetais, sumo perda de peso (infelizmente não consegui descobrir que ingredientes tem este sumo), e até este barritas (siken form) industriais com ingredientes que assusta qualquer pessoa informada, são usadas neste plano. Se não acredita...basta ver:


Acho que a imagem vale mais do que qualquer descrição que possa fazer sobre este produto alimentar.

Não acredito que uma caloria valha apenas uma caloria...e (muito) mais importante que as contar é saber de onde é que elas nos chegam.

Ou será que 400Kcal provenientes de açúcar refinado de um qualquer alimento industrial, são iguais a 400Kcal provenientes da Carne/Peixe/Legumes/Ovos? Este estudo irá vos ajudar a perceber o porque de serem diferentes.

No próximo artigo, irei vos falar da vantagem metabólica da ingestão de alimentos (e não produtos alimentares) com gorduras e proteínas em comparação com este tipo de planos alimentares.

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Adoçantes Artificiais, qual o seu impacto no organismo?

Os adoçantes artificiais induzem o ganho de peso, isso já é um ponto a que tínhamos chegado em outros post´s aqui apresentados.

Vários mecanismos comportamentais têm sido propostos para explicar a associação epidemiológica entre o uso de adoçantes artificiais e o ganho de peso. Tem sido sugerido que a dissociação da sensação do sabor doce da ingestão calórica pode promover o apetite, conduzindo a uma maior ingestão de alimentos e consequentemente ganho de peso. Além disso, o aumento do consumo de adoçantes calóricos adicionados foi associado com uma menor qualidade de alimentos na dieta, talvez alterando as preferências de paladar para alimentos adoçados em lugar de alimentos mais saudáveis​​, como frutas e verduras.

O que aqui vamos tentar explicar é o porque e com que mecanismos um adoçante não calórico nos aumentar o peso.

Como nos aumenta o peso, se não tem calorias?!

O consumo deste tipo de adoçantes, estimulam os receptores de sabor que temos no intestino (além dos que temos na língua). O receptor alfa-gustducin, permite que o nosso organismo capte o sabor doce. Uma vez estimulado, o corpo prepara-se para absorver o suposto açúcar que chegaria, através desse alimento que estaria a ser ingerido.

Clicar para aumentar a imagem.
Modelo simplificado da captação dos diferentes tipo de nutrientes (doce, amargo, gordura) por parte dos receptores que temos na mucosa gastrointestinal

Os adoçantes artificiais que estão em diversos produtos "light", "zero carb" e quase todo produto alimentar junk com aspecto de saudável, estimulam o receptor alfa-gustducin. Uma vez estimulado (é ainda mais estimulado pelos adoçantes artificiais do que pelos açúcares), aumenta a absorção de açúcar. Resultado = uma tendência a ganhar peso.

E isso mesmo pode também ser visto neste estudo cientifico levado a cabo por Davidson TL onde apresenta resultados que sugerem que o consumo de produtos que contenham adoçantes artificiais podem levar ao aumento do peso corporal e obesidade, por interferir com os processos fisiológicos, homeostáticos fundamentais.

Muito antes deste artigo, a minha opinião já era de que os adoçantes artificiais fazem mias parte da epidemia e de toda a industria alimentar que nos tem deixado gordos e doentes....

Será mais importante manter o corpo viciado no sabor do doce (com o amargo de todas as doenças associadas ao consumo de açúcares simples e adoçantes artificias)...ou vale a pena educar "a nossa boca"?

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Existe a Necessidade de ingerir Proteína Durante o Treino??

Sou da opinião que em todas as refeições do dia deveremos ingerir uma porção proteica na volta das 20/30g e isso inclui a refeição pré e pós treino que permitirá um aumento da síntese proteica e uma melhor resposta adaptativa ao treino intenso.

A ingestão de proteína + hidratos de carbono na dieta antes e durante o treino aumenta a resistência  aos exercícios e estimula a síntese proteica

Mas e durante o treino? Deveremos ingerir mais proteína?

Bem isso depende...sobretudo da modalidade que praticamos e do tempo de treino.

O que temos aqui é um gráfico com vários estudos científicos e o que podemos verificar é que em exercícios de endurance há melhorias significativas na performance com uma ingestão de Proteína + HC intra-treino. *treinos de endurance superiores a 1hora.

Relativamente a atletas de musculação pouco ou nada há a ganhar com a ingestão mista de proteína + hc durante o treino. A quantidade de proteína deve ser cedida isso sim antes (com pelo menos uma hora a 1 hora e 1/2 de antecedência do treino) e imediatamente após o treino para inibir a quebra de proteína muscular e aumentar a síntese proteica que deste modo aumenta o tamanho do músculo esquelético em resposta adaptativa ao treino.

Referências:
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/7900797
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2669978/
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16937979



terça-feira, 19 de agosto de 2014

Obesidade & Diabetes Tipo II.. Dois nomes para uma mesma doença!

Tenho insistido no capitulo da insulina (e do seu mau funcionamento), como ligação à obesidade, mas a verdade é que nunca estive tão ciente que estes são dois temas andam de braços dados, como que de almas gémeas se tratassem.

O titulo do artigo tem dois nomes fortes (Obesidade e Diabetes) que se interligam a uma doença caracterizada pelo mau funcionamento da insulina. Quer pela resistência à insulina (a insulina não transporta eficazmente a glucose até às células), quer pelo hiperinsulinismo (produção excessiva de insulina).

A conjugação deste dois factores é realmente espantosa, visto que 80% dos diabéticos tipo 2 são obesos (ver aqui). E quando digo que ambas são fruto de uma mesma doença relacionada com o mau funcionamento da insulina é porque realmente a diabetes tipo II está associada à produção excessiva de insulina e nestas condições o corpo não permite que a insulina trabalhe correctamente pelo que o nível de glucose no sangue permanece elevado (mesmo com o pâncreas a produzir cada vez mais insulina, fazendo com que estes níveis elevados de insulina possam causar além da obesidade, tensão arterial elevada e factores de risco cardiovasculares: com níveis de colesterol HDL baixos e triglicéridos elevados).

O importante a reter de toda esta conjugação é saber que o que causa o aumento dos níveis de insulina ao longo da vida (a diabetes tipo 2 é uma doença mais efectiva em idade adulta) é a ingestão errada de HC refinados em excesso de uma forma repetida, e isto porque a gordura dietética e a gordura dos alimentos não precisam de insulina para serem metabolizados, já em relação à proteína sempre que ela é usada para a sua função primária de construir massa muscular também não precisa de insulina (porém quando é ingerida em excesso afecta os níveis de açúcar no sangue)






terça-feira, 12 de agosto de 2014

Insulina..Hiperinsulinismo..Obesidade..Doenças Metabólicas. PARTE II

Na Parte I deste artigo percebemos quais os mecanismos que desencadeamos cada vez que comemos hidratos de carbono e quais as diferentes formas de serem armazenados cada vez que não são usados para obtenção de energia imediata.

Dando agora início à "Insulina..Hiperinsulinismo..Obesidade..Doenças Metabólicas. PARTE II", o que pretendo é que percebam o que acontece às pessoas com excesso de peso que estão constantemente a comer HC e que resultará numa excessiva produção de insulina.
E o que acontece a estas pessoas (com excesso de peso) é que as suas células perdem sensibilidade ao efeito da insulina, fazendo com que esta perca eficácia ao transportar a glucose para as células (ou seja, estas pessoas ganham resistência à insulina) e que conduz directamente ao título do artigo: HIPERINSULINISMO!!! 


Mas não só, essa resistência à insulina também se traduz num aumento de gordura corporal, pois cada vez que a insulina não é eficaz no transporte da glucose para as células, o fígado converterá essa glucose em gordura armazenada. Deste modo o nosso corpo deixa de ser uma máquina eficiente de produção de energia, para ser uma máquina de produzir gordura, sendo esta também uma das explicações para que as pessoas com excesso de peso tenham sempre a sensação de cansaço.

Quando o nosso corpo chega a este ponto o que podemos dizer, é que iremos produzir cada vez mais insulina para a mesma quantidade de HC que consumíamos antes...Isto multiplicado por milhares de refeições JUNK, por milhares de dias, e por alguns anos...irá nos guiar até ao desgaste dos receptores de insulina, sendo como um anuncio para a diabetes tipo II, AVC´s, doenças cardíacas, alguns tipos de cancros, etc.

Na Parte I referi que iriam perceber porque poderiam comer azeitonas (alimento este que é, de forma errada diria eu, altamente conhecido por aumentar muito a nossa gordura corporal) sem que com isso implicasse um aumento de gordura. A explicação é simples porque a gordura alimentar no geral e das azeitonas (onde a gordura é o principal macro nutriente) neste caso que estou a dar a título de exemplo, é a única substância que não tem impacto na glicemia. Portanto é deste modo um alimento super importante para nos ajudar a gerir a insulina...e consequentemente o nosso peso, sobretudo entre-refeições.

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Dieta para quem tem DIABETES?!??

Se eu pudesse passar receitas para doenças metabólicas como a diabetes tipo II que aflige cerca de um milhão de Portugueses, seria sem dúvida a prática de musculação e a eliminação/limitação dos hidratos de carbono. Se o problema é a regulação da glicose...o problema é simples de resolver (diabetes tipo 2), basta ir ao foco do problema: Hidratos de Carbono!!

Para perceberem o porque destas recomendações basta lerem os artigos que aqui escrevi:
http://junkfoodunmask.blogspot.pt/2014/08/insulinahiperinsulinismoobesidadedoenca.html
http://junkfoodunmask.blogspot.pt/2014/08/insulinahiperinsulinismoobesidadedoenca_12.html


O que me leva a escrever este artigo é que o que tenho visto em diferentes profissionais de saúde, não é tanto a procura em corrigir o problema, mas sim em geri-lo.

Se não vejamos este caso (mais um) que encontrei:

Pois é, falar em diabetes e em dietas para controlar a glicemia e ver esta fotografia....é algo que por mais que olhe não consigo compreender. Incrível!!

Arroz, batata, massa, pão, bolachas maria, bolachas de água sal...tudo isto são alimentos ou produtos alimentares referênciados neste texto que foi elaborado por um profissional de saúde....Já não falando da qualidade nutricional (ou falta dela) dos alimentos aqui referidos, eu pergunto-me o que estão aqui a fazer estes alimentos tão ricos em HC neste plano???

* O artigo completo pode ser visto aqui:
http://holmesplace.pt/pt/dieta-para-quem-tem-diabetes-a1827.html

** O artigo aqui escrito, é apenas a opinião da JunkFoodUnmask


terça-feira, 5 de agosto de 2014

Insulina..Hiperinsulinismo..Obesidade..Doenças Metabólicas. PARTE I

A insulina é uma hormona da qual todos vós seguidores do JunkfoodUnmask já ouviram falar.

Vou tentar que o conteúdo deste artigo seja o mais simples possível para que todos vós entendam o porque de eu insistir tanto com o controle de hidratos de carbono no geral e sobretudo na eliminação de alimentos junk da vossa alimentação. E isto tudo porque eles são os responsáveis pelo Hiperinsulinismo que acarretará obrigatóriamente doenças metabólicas.

A insulina é uma das substâncias mais potentes e eficazes que o corpo utiliza para controlar a utilização, distribuição e armazenamento de energia. Basicamente ela é a responsável por controlar a glucose.

Os hidratos de carbono que comemos fornecem ao nosso corpo açúcares que serão transformados em glucose, sendo claro que deste modo quando comemos muitos hidratos de carbono iremos ficar com muita glucose no sangue. O que à partida poderá parecer bom, visto que supostamente aqueles hidratos de carbono se transformaram em energia para o nosso corpo. Infelizmente esta é uma ideia completamente errada e um grave erro que tem sido negligenciado por muitos profissionais de saúde (basta ver a roda dos alimentos)



Ao ingerirmos HC iremos ter um impacto nos níveis de glicemia (em que a qualidade e quantidade determinará a reacção da glicemia), para poder ser útil ao corpo a glucose terá ser ser transportada até às células e é aqui que a insulina entra. Pensem na insulina como num autocarro em que terá de transportar a glucose do sangue até às células. Chegando às células só podem acontecer 3 coisas a essa glucose:
  1. Essa glucose pode ser mobilizada para obtenção de energia imediata
  2. Pode ser convertido em glicogénio 
  3. Ou pode ser armazenada sob a forma de gordura
O que acontece em dietas ocidentais e para sermos ainda mais precisos, à grande maioria dos Portugueses é que baseia a sua alimentação em mais de 60% (para não dizer mais ainda) em Pão, Massas, Arroz, Batatas, "cereais" de pequeno almoço, pequenos snacks onde aparecem sempre bolos, bolachas, até os refrigerantes fazem parte de qualquer mesa de esplanada aqui no nosso País, já para não falar na quantidade de cafés e 1/2 de leite que são ingeridos com o pacotinho de açúcar refinado. A isto tudo temos de somar, em que alimentos como carne e peixe são meros enfeites e que os ovos são considerados maus para a saúde quando ingeridos todos os dias, assim como comer azeitonas engorda porque são muito calóricas?!?!?!

Pois bem, o que acontece é muito simples, quando os níveis de glucose sobem o pâncreas liberta insulina para, como disse anteriormente, transportar essa mesma glucose às células. E aqui é que começa o problema, pois quando não estamos a ter actividade física e quando os nosso níves de glicogénio estão repostos (daí a importância de consumir HC antes e pós-treino), as nossas ncessidades de HC estão preenchidas e ao estarem preenchidas o nosso corpo tem de fazer algo com o excesso de glucose. E o que acontece é que simplesmente o nosso fígado transforma toda essa glucose em GORDURA. E é fácil perceber em que zonas do corpo ela se instala: barriga, coxas, nádegas....e fácil, fácil, fácil é o corpo armazenar gordura pois tem muito mais capacidade para o fazer do que armazenar os açúcares (glucose) que apenas tem pequenos depósitos para o fazer nos músculos e, em menor quantidade, no fígado.



E assim surge a obesidade...para que fiquem alertados toda essa gordura tem nome principal: triglicéridos!!

Na PARTE II, deste artigo iremos perceber o que é o Hiperinsulinismo e a que doenças estaremos expostos com a actual alimentação que levamos....e a título de curiosidade irão perceber porque podem (e devem) comer azeitonas sem terem o medo de aumentarem a gordura corporal com isso.