quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Jejum Intermitente...Diferentes Pontos de Vista!

Não há dúvidas que dietas com longos períodos em jejum está na moda, sobretudo para perder gordura de uma forma mais eficaz. Mas será esta moda, uma dieta sustentável ou saudável sobretudo em atletas cujo stress induzido pelo treino é elevado?


Como em quase qualquer "dieta" nova que aparece há desvantagens. Desvantagens essas que por vezes são de tal maneira graves que poderão ditar  que seja apenas mais uma "moda" passageira.

O jejum, pode ser prejudicial sobretudo para atletas altamente treinados por várias razões:
  • Refeições à volta do treino são fundamentais e têm uma estreita ligação com o desempenho, recuperação e ganho de massa muscular
  • O jejum aumenta a sensação de fome e isso pode se traduzir com dificuldade em cumprir o jejum, assim como aumenta o potencial para o excesso de consumo de alimentos quando estes se tornam disponível.
  • O jejum diminui o equilíbrio estático e dinâmico e pode aumentar o risco de lesões. 
  • Caos hormonal, sobretudo para a mulher e que assume muitas vezes a forma de Acne e Menstruação irregular
Comparação de resultados de medidas físicas entre ensaios sem jejum e em jejum. *jejum superior a 12h!

Há várias dietas de Jejum desde a dieta do Warrior, à dieta com jejum de dias alternados, etc..

O jejum intermitente, quando bem feito (há uma serie de mecanismos que se devem iniciar neste período) , é uma arma incrível para a perda de gordura, mas não deverá ser usada por todo e qualquer atleta, sobretudo as que referi por terem períodos de jejum muito prolongados. E digo isto porque um leve período de jejum matinal aliado ao treino antes do pequeno almoço pode, de facto, levar à perda de gordura, mas sempre pensado não na óptica de um atleta que queira manter a performance, mas sim em atletas (como o culturismo) em que procuram apenas perder gordura com base na parte estética do corpo em fases de pré-competição! Uma coisa é procurarmos uma melhor composição corporal, outra completamente diferente é procurar performance num determinado desporto.


Daí que os diferentes períodos de jejum, não são benéficos para atletas (que procuram performance) e isso pode ser visto em situações onde os atletas por "obrigações" culturais/religiosas como o Ramadão. Há até um estudo (ver aqui) em atletas de 5.000 metros sobre o efeito de jejum intermitente em períodos do Ramadão, onde concluíram que o J.I. afecta o seu rendimento!

No caso das mulheres, que estejam a pensar engravidar, a questão aqui apresentada tem outros riscos, sobretudo a nível hormonal. Pois o jejum em nada abona a fertilidade feminina (ver aqui)

Sem comentários:

Enviar um comentário