segunda-feira, 30 de março de 2015

Bolacha de Água e Sal..Algumas Considerações

Não sei porque motivo, nem desde quando as bolachas de água e sal são consideradas parte de uma alimentação saudável, mas na realidade elas aparecem em tudo que é cardápio "saudável".

E isso pode ser visto aqui:

Esta imagem foi retirada de uma página da internet dedica ao controlo da Diabetes(??!)

Mas não é única fonte de informação que podemos ver um cardápio deste género:


Isto tudo (há muito tempo) que me levou a questionar, mas o que terá assim de tão bom as bolachas de água e sal?

Ingredientes: Farinha de Trigo, Gordura vegetal (palma), dextrose, soro do leite em pó, extracto de malte, levedantes químicos (bicarbonato de amónio e bicarbonato de sódio), sal, emulsionante (lecitina de soja), aroma e antioxidante (metabissulfito de sódio)
Quando é exposto desta maneira, a máscara cai! Este alimento não é saudável, não deveria ser parte de uma dita alimentação saudável e muito menos deveria fazer parte de um alimento para diabéticos!

Farinha de trigo, óleo de palma, dextrose, sal, aroma, levedantes e emulsionantes são no fundo a base de qualquer alimento JUNK e pode confirmar isso mesmo lendo os ingredientes de qualquer alimento de pacote do supermercado!

Ainda vão andar a induzir em erro e a criar confusão mental a quantos milhões de pessoas??!

Quando são entidades como estas a partilhar isto, o futuro não se adivinha animador:


Mas nada me surpreende, tendo em conta a roda dos alimentos, onde os hidratos de carbono (farináceos e massas) representam grande parte da dieta (saudável). E se uma pessoa que pretende perder peso decide recorrer a um médico (ou nutricionista) sem querer generalizar, é com refeições com bolacha maria/bolacha de água e sal/copinho de leite que lhe "solucionam" a dieta. E funciona, perde peso (sempre que haja um balanço negativo, com a energia que despende, isso acontece).

Mas é a melhor maneira de o fazer? E depois, vai conseguir manter o peso? São alimentos destes que fez o nosso corpo evoluir nos últimos milhares de anos? Claro que não (além do mais, a restrição calórica reduz a taxa metabólica e paga o preço da adaptação do organismo à carência energética)!!!

Por essa lógica (balanço energético negativo) tem aqui uma boa dieta de...Twinkie (que sabem bem melhor que as bolachinhas de água e sal!

Twinkie diet helps nutrition professor lose 27 pounds

quarta-feira, 25 de março de 2015

Cookies de Canela & Aveia

Antes de mais e para que não se criem grandes expectativas, eu não sou o melhor cozinheiro do Mundo e talvez nem o melhor da minha rua.

Brincadeira à parte, a partilha desta receita surge para dar resposta aos vários pedidos que foram surgindo no facebook por parte seguidores do Junkfood Unmask. Isto depois de eu partilhar uma imagem das Cookies que eu própria tinha preparado na manhã de hoje.


A sua preparação é muito simples e prática. A receita "original" retirei do blog Saudável Como Um Pêro, embora após várias tentativas optei por fazer algumas alterações que funcionaram muito bem.

Ingredientes (aproximadamente para 9 cookies)
10 colheres de sopa de aveia bem cheias
1 colher de sopa de manteiga de pasto
1 colher de sopa de manteiga de amendoim (usei a Master Peanut)
2 ovos (caseiros)
1 Banana madura
1 colher de sopa de mel
1 colher de sopa bem cheia de canela
2 colheres de sopa de coco ralado
1 pisca de flor de sal

O modo de preparação, como referi, não podia ser mais fácil:
- Pré-aquecer o forno a 180º
- Colocar todos os ingredientes numa taça (aquecer a manteiga antes de a misturar) e misturá-los até conseguir obter uma massa homogénea
-  Forrar um tabuleiro com papel vegetal para levar ao forno e colocar pequenas porções da massa (pré-misturada). Moldar a massa em forma circular.
- Levar ao forno durante 30min (ou menos, dependendo do forno), para ficarem bem crocantes

Há mil e uma maneira de fazer estas cookies, podendo até adaptar e moldar os ingredientes consoante a hora do dia a que as irá ingerir ou até mediante o objectivo da sua dieta.

terça-feira, 24 de março de 2015

Carne de Porco, parte de uma dieta saudável?!

Tal como os ovos e a como a carne de vaca, a carne de Porco é um dos alimentos mais injustiçados nos dias de hoje.

Vários quadrantes ligados à saúde têm procurado (e fracassam em comprovar) associar o consumo de gordura animal (sobretudo a gordura saturada) ao colesterol e a doenças coronárias (a ideia de que o colesterol alimentar que ingerimos vai directamente para o colesterol do sangue é completamente Errada!), mas apesar de todas as evidências...o mito persiste!

A carne de Porco continua com má reputação, mas o que a maioria das pessoas desconhece é que a carne de Porco é uma excelente fonte de vitamina C / Niacina / Fósforo / Zinco / B12 / Ferro / Selênio

Claro que se falarmos de um porco criado a pasto, o sabor será superior, mais nutritivo (com mais vitamina E, Ómega-3, Menor teor de Ómega-6, vitamina D e ácido linoleico conjugado!).


NÃO a gordura do porco não é de todo a ameaça que a maioria das pessoas acreditam que seja. Na realidade a banha de porco é constituída por cerca de 45% de gordura mono insaturada e 40% de gordura saturada. E, quimicamente falando, a banha de porco é uma gordura estável ao calor, tornando-se óptima para cozinhar (ao contrário de óleos vegetais e margarinas), tal como o óleo de coco. Mas ao invés do óleo de coco, a banha de porco graças ao seu sabor neutro permite uma maior versatilidade nos cozinhados. Essa gordura saturada é estável e em resultado da sua composição química única (todas as ligações de carbono disponíveis são ocupadas por um átomo de hidrogénio) tem uma menor probabilidade de ganhar ranço e de oxidar quando elevada a alta temperatura (ao contrário das gorduras polinsaturadas).

Deixo-vos aqui links de estudo científicos que vos poderão ser úteis para compreender o que aqui foi dito:

  1. there is no significant evidence for concluding that dietary saturated fat is associated with an increased risk of CHD or CVD
  2. Effects of a low-fat, high-carbohydrate diet on VLDL-triglyceride assembly, production, and clearance
  3. Dietary fat and risk of coronary heart disease
  4. Pork meat increases iron absorption from a 5-day fully controlled diet when compared to a vegetarian diet with similar vitamin C and phytic acid content.

Pior que criar a fobia à gordura saturada, foi o facto de a substituir por gorduras trans, açúcares e alimentos industrializados!

Mas será então a carne de Porco um mau alimento?

Como vemos a carne de Porco tem tudo para ser saudável se for criado em pastos, mas o facto (como a grande maioria da carne que nos chega à mesa) destes animais serem criados com rações não apropriadas, com hormonas para proporcionar um crescimento rápido, com antibióticos, e sem acesso ao exterior e ao sol, deixam-nos num dilema que nos deve guiar à procura e à imposição de uma carne de qualidade.

Na minha opinião, a saúde encontra-se em alimentos reias e verdadeiros (legumes, fruta, ovos, etc) onde naturalmente se enquadra a carne de Porco (quanto menos ração e mais pasto tiver o animal ao dispor, melhor.)

quarta-feira, 18 de março de 2015

"Leite" Vegetal - #Alpro - Bebida de Aveia

Hoje no JFUnmask, vamos abrir um capítulo para os "leites" vegetais. A febre da procura por "super alimentos" há muito que começou e as grandes marcas (aquelas que publicitam na televisão) aproveitam cada espacinho das novas guidelines nutricionais.

Não que não goste de "leite" de amêndoa ou de aveia, mas o que quero dizer é que nem todos são iguais. Não basta dizer bebida de aveia, ou rico em fibras, 100% vegetal, naturalmente baixo em gorduras saturadas (como se isso fosse algo de bom?!?!), etc etc etc.


Hoje o que vos trago aqui é a bebida de aveia da alpro.


A lista de ingredientes deste produto alimentar, deveria terminar no segundo ingrediente (água e aveia). Quanto muito poderia ser adicionado o sal marinho (que neste produto aparece como sétimo ingrediente) ou flor de sal!

E não, o que estou a dizer não é utopia pois há algumas marcas no mercado só com estes três ingredientes. Só precisa de ler a lista de ingredientes correctamente para saber avaliar o que será uma boa escolha e esta bebida da alpro não o é!

Óleo vegetal (mais ómega-6??; talvez ler este artigo ajude a perceber), fosfato tricálcio (anti-aglomerante), maltodextrina (açúcar) e Goma Gelana (espessante) são estes os ingredientes que não fazem bem a nada, não nutrem, ocupam espaço no produto e pior de tudo podem ter efeitos não desejados.

segunda-feira, 16 de março de 2015

4 a 11 Porções de Cereais e Tubérculos...

Estas são as recomendações da Associação Portuguesa de Nutricionistas, num E-book intitulado "Mitos sobre a Diabetes"


Será isto uma bela forma de recrutar novos clientes?

Portanto comam pão, bolachas maria, bolachas de água e sal, massa e broa. Mas não esquecer repetir 4 a 11x por dia...que é especialmente bom para criar RESISTÊNCIA...à insulina!

Mas há mais:


Depois do copinho de leite e bolacha maria..tenha então uma boa noite!

terça-feira, 10 de março de 2015

O que Acontece se Eliminarmos todos os Alimentos Processados da Nossa Dieta?

Pois é, chegamos a uma questão que considero ser fundamental para o paradigma actual da dieta ocidental e que todos nós deveríamos pensar nela. E se eliminarmos todos os alimentos processados da nossa dieta, incluindo os que têm rótulos com títulos Light, Zero, rústicos, caseiro, diet, ect. O que aconteceria?


A eliminação dos alimentos processados da dieta contínua a ser uma árdua tarefa, de tal maneira que todos esses alimentos são já a base da dieta, tanto das nossas crianças como da maioria dos adultos. Basta pensar na rotina diária: "Cereais" ao pequeno almoço, Leite com chocolate de pacote a meio da manhã, iogurte docinho ao lanche, pizza pré-feita ao jantar, sumos e refrigerantes ao longo do dia e aquelas bolachinhas ao deitar...esta é a realidade dia após dia repetidamente! O açúcar, o trigo, milho e as gorduras vegetais rapidamente se tornaram a base da nossa dieta, criando excelente barrigas de...açúcar e de trigo, com todas os efeitos adversos para a nossa saúde que daí advém (mais de 80% da nossa população deriva desta má alimentação que aceitamos como "normal" ao longo das suas vidas!).

Vou apenas contar a história do Helder, um amigo que quando conheci tinha mais de 100kg (e que incluía uma barriga considerável) de apenas 26 anos de idade e com historial de diabetes tipo II na família.
Quando me pediu ajuda para perder peso, o seu comportamento aparentemente indiferente fez-me pensar que iria ser um caso difícil tendo em conta o seu historial de viciação em alimentos processados. Mas apesar de todo esse aparente comportamento de negação (em sair da zona de conforto) e vicio causado pelo açúcar e trigo (como já foi referido aqui) consegui transmitir-lhe as minhas ideias.
Os resultados esses apenas demoraram 4 dias, sim 4 dias. Em 4 dias o Helder perdeu 4Kg.

Este caso que aqui vos trouxe está longe de ser único, na verdade é o que acontece quando eliminamos o trigo, o açúcar e todos os alimentos JUNK. Ao serem eliminados deixam de desencadear níveis altos de glicemia e respostas exageradas de insulina. Eliminamos deste modo o ciclo de fome e de saciedade momêntanea e eliminamos o factor "vicio" da nossa dieta. Ou conhece alguma pessoa que seja viciada em bifes ou em ovos ou legumes????

Em todo caso não basta eliminarmos todos estes pseudo alimentos, temos de suprimir a lacuna calórica deixada por eles por alimentos à seria.

O que acontece é isto mesmo, perda de peso, aumento de energia, melhoria da composição corporal, melhor sensibilidade à insulina, reduz quase a zero a possibilidade de contrair diabetes tipo II, tensão arterial normal, triglicéridos baixos, colesterol HDL alto....

quinta-feira, 5 de março de 2015

Meia de Leite e Torrada ao Pequeno Almoço? O que há de errado no pequeno almoço preferido dos Portugueses? PARTE II

A torrada (o pão, como também alimentos processados ricos em trigo e açúcar) desencadeia um ciclo de saciedade e fome induzido pela insulina, conduzindo assim a uma acumulação de gordura. Não que a insulina seja a culpada do que quer que for, na realidade ela trabalha a nosso favor, o problema surge quando criamos resistência (derivado do consumo contínuo de açúcares e trigo, por exemplo), quando funciona bem a sua acção ajuda até na....saciedade!

É por este motivo (entre dezenas de outros factores) que, por exemplo, comer dois a três ovos ao pequeno almoço não acrescenta NADA à gordura corporal quando comparado com uma "torradinha".

Nesta altura do artigo já deve estar com medo daquilo que leu...talvez a hipótese lipidica dos anos 60 ainda lhe esteja a deixar a visão turba, já que foi a partir dessa altura que foi argumentado que consumos elevados de gordura está associado a níveis de colesterol e risco de doença cardíaca. Neste estudo aqui Impact of Breakfasts (with or without Eggs) on Body Weight Regulation and Blood Lipids in University Students refere (entre outras coisas) que o colesterol dos Ovos não afecta, nem tem um impacto negativo nos lípidos plasmáticos.

Foi também a partir daí que os cereais (sobretudo o trigo) vieram ocupar a lacuna calórica deixada pela ausência de gordura na dieta.

Para que não fiquem dúvidas, ingerir alimentos à seria ao pequeno almoço (como ovos, frutos secos, abacate, presunto, vegetais) não só não desencadeia à acção da insulina (o tal ciclo saciedade/fome) como mantém em baixo as reservas de glicogénio, o que se torna fundamental quando queremos melhorar a nossa composição corporal, quando queremos melhorar a sensibilidade à insulina, baixar os níveis de triglicéridos, melhorar o colesterol HDL, manter uma tensão arterial normal...ou por outras palavras, deixar de ingerir pão, cereais (principalmente, trigo, centeio, milho), açúcar (bolos, bolachas, etc), vai deixá-lo saudável, magro e musculado!

Para que toda esta "magia" aconteça, basta preencher a lacuna deixada pelo pão, cereais e açúcares por alimentos completos e densos, como os que atrás referi a título de exemplo: Legumes, Frutos Secos, Ovos, Abacate, azeitonas, manteiga, etc etc etc. Haja imaginação e não faltarão escolhas para o seu pequeno almoço.

Pão usado neste pequeno almoço: Pão das Cavernas - Experiência JFUnmask!
Este é um exemplo, de milhares de pequenos almoços que pode preparar!

segunda-feira, 2 de março de 2015

pH do corpo NÃO muda...Algumas considerações importantes para a sua saúde!

Talvez seja o desfazer de um mito para muita gente, mas a realidade é que o pH do corpo não muda o que é realmente alterado é o pH da urina!

A estrutura ácido-base do corpo está muito bem afinada e é mantida a não ser que possa haver uma forte infecção bacteriana ou alguma doença renal que podem ser mortais.

No nosso dia-a-dia o pH está imobilizado nos 7.4, graças ao complexo sistema de controlo existente. Quando os ácidos derivados do nossos alimentos fazem descer o pH, o corpo reage recorrendo a todos os alcalinos armazenados, no sangue e nos....ossos! Por ser tão crucial manter o pH estável o nosso organismo sacrifica a saúde dos nossos ossos...podendo os seus ossos tão fracos que ficam expostos a fracturas muito antes do seu pH ficar desregulado.

Estes números são esclarecedores, do impacto de uma dieta ocidental. Se aliarmos o nº de Diabéticos, Hipertensos, Obesos a esta realidade percebemos o impacto enorme que os alimentos processados, o açúcar e o trgio têm feito pela saúde dos nossos idosos!
As proteínas animais são apontadas como sendo o principal gerador de ácido na nossa alimentação, porém o que fica por dizer é que a carne de porco, frango ou até mesmo o queijo não são tão prejudiciais como parecem à primeira vista, já que por um lado acidificam a nossa urina, mas por outro lado, através da estimulação da hormona de crescimento, estimula o crescimento e mineralização óssea. E isso pode ser visto aqui:

Long-term protein intake and dietary potential renal acid load are associated with bone modeling and remodeling at the proximal radius in healthy children.

A conclusão a que chega este estudo não podia ser mais esclarecedora.

Mas não ficamos por aqui, há mais estudo a comprovar tudo o que aqui estamos a referir:

Estimation of the net acid load of the diet of ancestral preagricultural Homo sapiens and their hominid ancestors.

Mas o que realmente está a enfraquecer os nossos Ossos e a promover um esforço extra ao nosso organismo para equilibrar o pH?
Se por um lado há cada vez mais, nas dietas ocidentais, um declínio no consumo de vegetais e de frutos (que são os verdadeiros alimentos alcalinizantes), por outro lado estamos na era dos alimentos processados, ricos em açúcar e cereais (entre outros ingredientes, produzidos industrialmente). É aqui que reside a base do problema!!

E não, não é apenas a questão da "água alcalina", como tem vindo a ser referenciado, se não vejamos:

A água pura é SEMPRE neutra (com um pH de 7), o que faz alterar o pH da água são os minerais contidos no que chamamos de água mineral. O pH será determinado pela concentração desses minerais...
Mas já perdeu tempo para ver a quantidade irrelevante de minerais que ela contém? Se são eles que alteram o pH da água, a carga ácida ou alcalina dessa mesma água mineral será grande?? Ou por outro lado, será minúscula?

Posto isto, o pH da urina muda, mas muda, para que o pH do nosso corpo não mude.

Todo organismo que acidifica é um ambiente propicio para fungos bactérias parasitas vírus e microrganismos....
No exterior do corpo, de sumo de limão é ácido (pH inferior a 7). Mas após ser ingerido e metabolizado o sumo de limão tem um efeito alcalino, portanto, aumenta o pH da urina (pH acima de 7).



Eu costumava acreditar que os ossos perdiam cálcio, por haver uma deficiência de cálcio nas nossas dietas (a industria do leite, tem sido o porta voz desta "verdade", apontando a solução para uma maior ingestão de leite e que de facto, parece lógico), mas o que acabamos de ver é uma grande falha nessa perspectiva.