sábado, 23 de julho de 2016

Carga Ácida da Dieta e Sarcopenia

Após a digestão, absorção e metabolismo, quase todos os alimentos libertam qualquer ácido ou base para a circulação sanguínea.

Uma dieta rica em cereais (mesmo que integrais), sal (por causa dos iões cloreto), carnes, peixes, mariscos e ovos têm uma elevada carga ácida, por sua vez as frutas, legumes, tubérculos, e frutos secos têm uma carga alcalina. O que acontece nos dias de hoje, em Países industrializados em que o consumo de fruta e legumes é realmente escasso quando comparado com alimentos processados, com alimentos "junk", com cereais, com carne é que há uma acidificação metabólica crónica de baixo grau o que provoca perda de cálcio nos ossos, causada pela mobilização de sais alcalinos para fazer frente à acidificação do organismo (ainda que de baixíssimo nível), daí a ligação de uma dieta JUNK à perda de massa Óssea.

O tema hoje é a perda de massa muscular associada a uma dieta ácida. De facto é o que acontece, quando há uma acidose metabólica é induzido a libertação de aminoácidos (incluindo glutamina, a Glutamina é só a maior fonte de nitrogénio usada pelo rim para síntese de amônia, para aumentar a excreção de ácido ma urina, de modo atenuar a gravidade da acidose.). Quanto maior for o período de uma dieta ácida e ocidentalizada, maior é o risco de Osteoporose e de Sarcopénia.
 Assim nós diz mais um dos brilhantes estudos do Professor Alessio Fasano (reconhecido como um dos responsáveis pela descoberta de uma proteína que controla e determina a abertura/fecho das "portas" do intestino delgado (com fortíssima influência na permeabilidade intestinal). VER AQUI



Há realmente a noção que somos um povo gordo e obeso (e doente, diria eu), mas poucos diagnosticam Sarcopenia como um epidemia.
 Diria mais, grande parte de nós acha "normal" a associação de perda de força, mobilidade e funcionalidade ao envelhecimento. Mas não, não é. É uma consequência do desuso, de uma dieta pobre em micronutrientes, com alta carga glicémica e com um rácio sódio/potássio completamente desajustado (e que resulta numa perda de aminóacidos e minerais do nosso próprio organismo para compensar a acidez metabólica crónica e de baixo grau (graças ao trabalho dos nossos rins).

Sarcopenia e Osteoporose são de facto doenças directamente relacionadas e que muitas vezes são seguidas uma da outra.

Que lição devemos retirar disto?
Embora a população mais adulta (a partir dos 40 Anos) necessitem de uma ingestão adequada de proteínas estruturais e de alto valor biológico para manter a massa muscular, esta ingestão deve ser acompanhada por um aumento no consumo de frutas e legumes (e acrescentaria, com uma redução de alimentos à base de cereais!)

Deixo também sugestão de suplementos que podem interferir directa ou indirectamente no combate à sarcopenia:


  • Creatina Monohidrato
  • Vitamina D
  • Omega-3
  • Glutamina

Sem comentários:

Enviar um comentário