sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Simplesmente coma comida. PARTE II

Esta será a segunda parte do artigo Simplesmente coma comida.

O problema da obesidade e da grande maioria das doenças de incompatibilidade e abundância como a Osteoporose e Diabetes não nasce apenas por já não sabermos o que deveremos comer.

O problema é também outro e debate-se por não se comparar mais alimentos reais, mas sim os macro nutrientes presentes nos alimentos, como as Proteínas, Hidratos de Carbono Amidos Açúcares, Gorduras. A comida é muito mais do que o Amido e do que a Gordura.


Comer cereais é muito diferente de comer batata doce. Comer gordura de animais alimentados com pasto é diferente de comer gordura de diferentes óleos de sementes. Comer proteínas do ovo ou do leite de vaca é também muito diferente, ver aqui. Então porquê a discussão do low carb? low fat? high protein?

Se continuarmos com estes dogmas, nunca iremos chegar a qualquer lugar ou conclusão. Pior, abrimos caminhos à industria alimentar para criar substitutos de alimentos, para que possam ir de encontro às novas modas nutricionais. Sem glúten? FÁCIL criar novos "alimentos", alias são centenas de artigos sem glúten em qualquer hipermercado que de comida verdadeira nada têm. Sem hidratos de carbono? Talvez mais fácil ainda, artigos ainda mais saborosos e ainda mais oferta. Sem gordura? Já viu a quantidade de produtos light que há num hipermercado????? Com menos calorias (As calorias apenas se referem a medidas feitas pelo calorímetro e o calorímetro não sintetiza enzimas ou possui metabolismo. É apenas combustão directa o que em nada se assemelha ao corpo humano)??

A simplificação e as regras destas directrizes, das calorias e dos macro nutrientes, são sempre apetecíveis, sobretudo a quem falta sentido crítico. E isso é o que tenho sentido por parte de quem "manda" na nutrição em Portugal. Se não vejamos o slogan "Vamos pôr a nutrição na ordem"?!? Que ordem??! A ordem das calorias e das trocas inteligentes??!

Trocas Inteligentes? 
Experimente comer..comida!

Comida de verdade não tem rótulo e a soma das suas virtudes e impactos positivos na nossa saúde vão muito além da composição isolada dos seus macro nutrientes!

Claro que a compreensão do impacto e função de cada macro nutriente é fundamental, alias não pretendo que pare de contar macro nutrientes ou calorias, mas o método em si de deixar de olhar para o alimento que temos à frente e só pensar em calorias ou macro nutrientes tem muitas limitações e contradições. Se apenas ingerirmos comida de verdade e que para a qual evoluímos como espécie grande parte dos problemas de saúde e de obesidade deixarão de existir.

Pois é, quer gostem ou não continuamos a ser símios bípedes em pleno ano de 2016, temos um corpo que é um resultado de adaptações de milhões de gerações e não um corpo produzido e programado para assimilar todas as inovações alimentares que temos a cada ano que passa.

Simplesmente coma comida.....

Sem comentários:

Enviar um comentário