quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Os Perigos de um Intestino Permeável: A porta biológica para a Auto-imunidade, Inflamação e Cancro

"Um forno cuja porta não se fecha não assa os seus pães"

O intestino humano é revestido por uma camada única de células, é também povoado por uma comunidade complexa de parceiros microbianos que são muito mais numerosos do que as células do próprio intestino.

Em condições normais, as células intestinais formam uma barreira estreita e selectiva (entrando apenas os nutrientes essenciais e comuns, porque são reconhecidos como benéficos!). Para que esses nutrientes entrem através dessa barreira é preciso que as "junções de oclusão" (que funcionam como uma ponte móvel) regulem a passagem desses nutrientes.

Quando estas "ponte móvel" é desregulada em indivíduos geneticamente suscetíveis, podem ocorrer desordens auto-imunes, inflamatórias e neoplásicas

Mas o que é que acontece com um intestino permeável?
As funções primárias do tracto gastrointestinal têm sido tradicionalmente consideradas como limitadas à digestão e absorção de nutriente, electrólitos e à homeostase da água. Uma análise mais atenta das características anatômicas do tracto gastrointestinal, no entanto, sugere que outra função extremamente importante deste órgão é a sua capacidade para regular o tráfico de macro-moléculas entre o ambiente e o hospedeiro através de uma barreira. Na condição de um intestino permeável, as junções de oclusão não conseguem ser eficientes e não se fecham na sua totalidade, abrindo espaço a uma passagem indiscriminada dessas macro-moléculas.

A zonulina é a proteína humana responsável por modular a permeabilidade intestinal(1), é ela que regula a abertura ou o fecho da barreira epitelial do intestino. Dentro dos vários gatilhos, estão identificados o glúten (gliadina) e a SIBO como os mais potentes. Em doenças auto-imunes (com a diabetes tipo I+doença celíaca) sugerem que quando o tráfico das macro moléculas é desregulado em indivíduos geneticamente susceptíveis podem ocorrer distúrbios auto-imunes (talvez através do processo já conhecido, como sendo uma das hipóteses, molecular mimicry)

Diabetes tipo I, doença celíaca, esclerose múltipla, artrite reumatóide, doenças tumorais, todas elas doenças com denominador comum: INTESTINO PERMEÁVEL!

E o que causa essa permeabilidade?
- Glúten (2)
- SIBO (small intestinal bacterial overgrowth) (3)
- Baixos níveis de Zinco e Vitamina D (a vitamina D, desempenha um papel fundamental na saúde da mucosa intestinal (4)
- Stress crónico (5)
- Anti-Inflamatórios não esteróides (6)
- Aditivos alimentares (7)
- Antibióticos
- Álcool (9)


O que nos sugere Alessio Fasanopara (maior autoridade mundial para a permeabilidade intestinal) é que esses processos podem ser detidos pelo restabelecimento da barreira intestinal dependente da função da zonulina. (10)

Referências:
1. Zonulin, regulation of tight junctions, and autoimmune diseases
2. Gliadin, zonulin and gut permeability
3. Small intestinal bacterial overgrowth, intestinal permeability, and non-alcoholic steatohepatitis
4. Vitamin D deficiency promotes epithelial barrier dysfunction and intestinal inflammation.
5. Breaking down the barriers: the gut microbiome, intestinal permeability and stress-related psychiatric disorders
6. Effect of non-steroidal anti-inflammatory drugs and prostaglandins on the permeability of the human small intestine.
7. Changes in intestinal tight junction permeability associated with industrial food additives explain the rising incidence of autoimmune disease.
8. Antibiotic Treatment Affects Intestinal Permeability and Gut Microbial Composition in Wistar Rats Dependent on Antibiotic Class
9. Alcohol, Intestinal Bacterial Growth, Intestinal Permeability to Endotoxin, and Medical Consequences
10. Zonulin and its regulation of intestinal barrier function: the biological door to inflammation, autoimmunity, and cancer.

Sem comentários:

Enviar um comentário