A Microbiota de um Ocidental, quais as consequências?


Cesarianas, Antibióticos, Higiene (em excesso), Substitutos do leite materno, Alimentos Processados...que cómodo é ser Humano Moderníssimo em pleno ano 2017!

É realmente cómodo, mas este modo de vida está a ter fortes implicações na nossa Microbiota (o nosso segundo cérebro!), tanto na diversidade como na quantidade de microrganismos presentes no nosso corpo.

Compreendemos melhor a nossa Microbiota, se olharmos para nós próprios como um superorganismo que é composto por triliões de microrganismos que coexistem lado a lado com o hospedeiro humano e estamos ligados ao meio ambiente que nos rodeia através dos invisíveis habitantes microbianos (o gato em nossa casa, o solo que tocamos, as pessoas que cumprimentamos, todos têm a sua própria microbiota)

Pois bem a nossa microbiota regula a função da barreira intestinal, controlam o nosso sistema imunitário e produzem enzimas, hormonas e neurotransmissores que desempenham um papel de destaque no nosso metabolismo, digestão,etc. Posto isto não é de estranhar que o nosso estilo de vida moderno tem sobre a nossa microbiota e obviamente sobre a nossa saúde, onde as perturbações da microbiota sejam agora um grande problema das sociedades industrializadas. 

Um intestino disfuncional afecta a nossa saúde através de vários caminhos e talvez os mais conhecidos seja o aumento da translocação de endotoxinas bacterianas e da inflamação crónica de baixo grau.

A Endotoxemia e a inflamação crónica de baixa grau poderão ter várias consequências adversas, como, por exemplo: 
1- Obesidade

2 - Resistência à ação da insulina, síndrome metabólica e diabetes tipo II, 
3 – Hipertensão
4 – Dislipidemia (aumento das concentrações de triglicéridos, diminuição do número de partículas de HDL com alteração da sua funcionalidade e aumento do nímero de partículas de LDL pequenas e densas) e aumento da oxidação de lipoproteínas
5 – Aterosclerose (que é a principal causa de enfarte de miocárdio e acidente vascular cerebral)
6 – Aumento do risco de esteatose hepática (fígado gordo)
7 – Perda de massa muscular (Sarcopenia)
8 – Osteopenia
9 – Anorexia, depressão, diminuição da qualidade do sono e diversas alterações neuroendócrinas
10 Anemia ferropénica 
11– Deficiência de Vitamina D e de Zinco
12 – Aumento do risco de vários tipos de cancro (como cancro do cólon e alguns tipos de cancro da mama)



"The inflammatory burn: gut microbiota dysbiosis and the origin of metabolic impairments"

O problema é real, a Disbiose afecta milhões de pessoas em todo o Mundo e promete continuar afectar já que, infelizmente, a grande maioria das pessoas sabe muito pouco sobre os micróbios que carregam ao longo da vida e estão completamente inconscientes para o impacto que o seu estilo de vida tem na composição da sua microbiota.

Que podemos fazer pela nossa Microbiota:

  • Ter nascido por parto natural, ajuda!
  • Ter sido alimentado no início da sua vida através do leite materno, ajuda!
  • Evite ingerir Alimentos Processados
  • Ingira grandes quantidades de vegetais e frutas
  • Suje-se
  • Tenha um gato! :)
  • Suplemente com Probioticos ou Alimentos Fermentados
  • Tenha a certeza absoluta que em caso de ter de tomar antibioticos é realmente  de estrita necessidade!
  • Tenha uma dieta adequada e estilo de vida adequado, para controlar a inflamação crónica de baixo grau

A mensagem que quero passar é que devemos prestar mais atenção aos organismos invisíveis que habitam o nosso corpo, aos que vivem na nossa casa, no nosso solo e no intestino dos nossos animais de estimação...afinal está tudo conectado e dela depende a nossa saúde!


1 comentário :

  1. Boa tarde!

    Parabéns pelo blogue, gosto muito de o ler e tenho aprendido muito consigo - Obrigada pelas partilhas!


    Fiquei curiosa com o ponto "tenha um gato!" - posso perguntar porquê...? O que tem o gato...?

    Obrigada!

    Maria

    ResponderEliminar

Designed by OddThemes | Distributed by Gooyaabi Templates