terça-feira, 18 de março de 2014

Ovos, mais de 2 por dia? It´s OK!!!

Um ovo tem 13 vitaminas e minerais essenciais em quantidades variadas, proteína de alto valor biológico e antioxidantes, tudo por 70 calorias cada. Os nutrientes encontrados nos ovos podem desempenhar um papel  importante no controle do peso, força muscular, gravidez saudável, na função do cérebro e muito mais.



Como vemos aqui nesta completa informação nutricional do Ovo, trata-se de um alimento completo, carregado de nutrientes, baixo em hidratos de carbono, altíssimo em proteína e gordura de qualidade. Por ter este perfil de macro-nutrientes e também derivado ao facto por estarmos numa excelente fonte de Colina, Zinco e Vitamina D, estamos na presença de um alimento funcional.


Pode e dever ser nosso aliado na dieta no combate à obesidade, na saciedade (VER AQUI), na diabetes e no controlo do perfil lipidico (VER AQUI), no aumento de massa muscular, e até no desenvolvimento cerebral e na memória (aqui a Colina tem um papel fundamental: VER AQUI).


Muitas pessoas ainda ficam assustadas com as 186mg de Colesterol que cada ovo contém. Pois é, apenas um ovo tem tanto colesterol como o recomendado para um dia inteiro. "Só devemos comer 1 ou 2 ovos por semana..." Quem ainda não ouviu isto?

Esta afirmação está errada, não se trata aqui de simples matemática, pois a relação entre o colesterol dietético e o colesterol detectado pelos biomarcadores clínicos não é assim tão directa como pode ser verificado aqui neste estudo publicado VER AQUI. São vários os ensaios clínicos que mostram que para a grande maioria das pessoas não existe relação entre o consumo de colesterol (por exemplo através dos Ovos) e o risco acrescido de doença cardíaca. Com dieta adequada baixo em hidratos de carbono simples, baixo em gordura trans, alimentos industrializados e inflamatórios, é possível retirar grandes benefícios do consumo de ovos em números que até podem ser superiores a dois por dia. É de realçar a importância da dieta, mais concretamente da ingestão dos hidratos de carbono, dado que são estes a principal causa do aumento dos níveis de "mau colesterol" quando consumidos em excesso (sendo armazenados sob a forma de gordura no corpo). A questão fundamental, acredito eu, para a epidemia mundial de doenças cardíacas e da obesidade em geral centra-se na ingestão e alimentos com elevada carga glícemica que dominam as refeições, não só as principais como também as pequenas refeições da grande maioria da população. Em quase todas essas refeições o arroz branco, massa, batata, cereais, farinhas estão não só estão presentes como são sobrevalorizados, quando poderiam ser substituídos por HC com CG mais baixa e ainda com a vantagem de serem mais ricos nutricionalmente como os vegetais, legumes e as leguminosas.

Dito isto, centre as suas preocupações em reduzir a ingestão deste tipo de hidratos de carbono e de alimentos industrializados e alie isso ao exercício físico. Garanto-lhe que não se vai arrepender.



(Dra.Maria Fernandez esclarece equívocos comuns sobre ovos, a que ela se refere como um alimento funcional , e também discute o colesterol da dieta , obesidade e síndrome metabólica.)

Sou um fã incondicional deste alimento e como tal não dispenso 2 a 3 ovos "mexidos" por dia sendo que opto por cozinhá-los ao pequeno almoço. Para mim é uma saborosa maneira de comer proteína pela manhã, ainda por cima vinda de uma fonte tão biodisponível e tão rica em micro nutrientes. Mas como referi num anterior post ver aqui, poderá cozinhar e ingerir-los tanto noutras refeições do dia como de mil e uma maneiras diferentes do que esta que aqui mencionei.




Sem comentários:

Enviar um comentário