terça-feira, 12 de agosto de 2014

Insulina..Hiperinsulinismo..Obesidade..Doenças Metabólicas. PARTE II

Na Parte I deste artigo percebemos quais os mecanismos que desencadeamos cada vez que comemos hidratos de carbono e quais as diferentes formas de serem armazenados cada vez que não são usados para obtenção de energia imediata.

Dando agora início à "Insulina..Hiperinsulinismo..Obesidade..Doenças Metabólicas. PARTE II", o que pretendo é que percebam o que acontece às pessoas com excesso de peso que estão constantemente a comer HC e que resultará numa excessiva produção de insulina.
E o que acontece a estas pessoas (com excesso de peso) é que as suas células perdem sensibilidade ao efeito da insulina, fazendo com que esta perca eficácia ao transportar a glucose para as células (ou seja, estas pessoas ganham resistência à insulina) e que conduz directamente ao título do artigo: HIPERINSULINISMO!!! 


Mas não só, essa resistência à insulina também se traduz num aumento de gordura corporal, pois cada vez que a insulina não é eficaz no transporte da glucose para as células, o fígado converterá essa glucose em gordura armazenada. Deste modo o nosso corpo deixa de ser uma máquina eficiente de produção de energia, para ser uma máquina de produzir gordura, sendo esta também uma das explicações para que as pessoas com excesso de peso tenham sempre a sensação de cansaço.

Quando o nosso corpo chega a este ponto o que podemos dizer, é que iremos produzir cada vez mais insulina para a mesma quantidade de HC que consumíamos antes...Isto multiplicado por milhares de refeições JUNK, por milhares de dias, e por alguns anos...irá nos guiar até ao desgaste dos receptores de insulina, sendo como um anuncio para a diabetes tipo II, AVC´s, doenças cardíacas, alguns tipos de cancros, etc.

Na Parte I referi que iriam perceber porque poderiam comer azeitonas (alimento este que é, de forma errada diria eu, altamente conhecido por aumentar muito a nossa gordura corporal) sem que com isso implicasse um aumento de gordura. A explicação é simples porque a gordura alimentar no geral e das azeitonas (onde a gordura é o principal macro nutriente) neste caso que estou a dar a título de exemplo, é a única substância que não tem impacto na glicemia. Portanto é deste modo um alimento super importante para nos ajudar a gerir a insulina...e consequentemente o nosso peso, sobretudo entre-refeições.

Sem comentários:

Enviar um comentário